• 14/08/2020 16:00
Em terra desde 2019

Anac avalia o retorno das operações do Boeing 737-8 MAX

  • 14/08/2020 16:00
    • Estadão Conteúdo
    Montagem do jato 737 MAX, da Boeing
    Montagem do jato 737 MAX, da Boeing| Foto: AFP

    A Agência Nacional de Aviação Civil iniciou estudos para a retomada das operações do Boeing 737-8 MAX, impedido de voar depois que dois acidentes deixaram centenas de mortos. A suspensão dos voos no Brasil ocorreu em março de 2019. Segundo a Anac, em nota, a agência estuda proposta que dispõe sobre a modificação de projeto de sistema de controle de voo do modelo. A proposta trata de uma Diretriz de Aeronavegabilidade, divulgada pela autoridade de aviação civil norte-americana (FAA, na sigla em inglês), no último dia 3 de agosto e enviada para autoridades de aviação civil que trabalham na análise do projeto. "Esta medida faz parte dos estudos de validação para retorno das operações deste modelo de aeronave. O objetivo é demonstrar que o projeto com as modificações propostas é seguro e atende aos requisitos de aeronavegabilidade necessários", disse a agência. No Brasil, a Gol é a principal aérea que depende do modelo. A empresa tem hoje sete unidades na frota, que estão impedidas de voar, além de novas encomendas. A volta do Max, por sinal, é uma etapa importante para a Gol começar a pensar a retomada do tráfego aéreo internacional, uma vez que o modelo tem custo operacional melhor do que o restante da frota da brasileira. Não há um prazo para a liberação.

    Tudo sobre:

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.