i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
FINANCIAMENTO

China emprestou mais dinheiro à América Latina em 2014 que BID e BM juntos

Por países, o Brasil foi o principal receptor com US$ 8,6 bilhões, seguido por Argentina (US$ 7 bilhões), Venezuela (US$ 5,7 bilhões) e Equador (US$ 820 milhões)

    • Efe
    • 26/02/2015 20:34

    A China emprestou em 2014 à América Latina US$ 22,1 bilhões, número superior aos US$ 20 bilhões de financiamento combinado do Banco Mundial (BM) e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e cuja maior parte ficou concentrada em Brasil, Argentina, Venezuela e Equador.

    O relatório, divulgado nesta quinta-feira (26) pelo centro de estudos Diálogo Interamericano de Washington, foi coordenado por Kevin Gallagher, professor associado de Desenvolvimento Global da Boston University, e Margaret Myers, pesquisadora do centro.

    Por países, o Brasil foi o principal receptor com US$ 8,6 bilhões, seguido por Argentina (US$ 7 bilhões), Venezuela (US$ 5,7 bilhões) e Equador (US$ 820 milhões), explicou Gallagher em entrevista coletiva para apresentar os resultados.

    “A maior parte se concentrou em setores extrativos (mineração e energia) e de infraestrutura (transporte e transmissão elétrica)”, detalhou o professor universitário.

    “Ferramenta diplomática”

    Segundo Gallagher, estes fundos vão seguir fluindo para a região nos próximos anos, já que a China considera os empréstimos uma “ferramenta diplomática”.

    No caso de Venezuela, Argentina e Equador, esta concentração de empréstimos por parte da China responde às “dificuldades” que esses países têm para acessar os mercados internacionais de capital.

    Em 2013 o volume total foi de US$ 12,9 bilhões e, nessa ocasião, os empréstimos chineses se concentraram na Venezuela, com US$ 10,1 bilhões.

    Desde 2005, quando os pesquisadores começaram a fazer sua base de dados, a China concedeu empréstimos à América Latina no valor de US$ 119 bilhões, a maior parte procedente dos bancos estatais China Development Bank (US$ 83 bilhões) e China Export-Import Bank (US$ 20,9 bilhões).

    A Venezuela monopoliza quase a metade deste financiamento, com US$ 53,6 bilhões, seguida por Brasil (US$ 22 bilhões), Argentina (US$ 19 bilhões) e Equador (US$ 10,8 bilhões).

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.