i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Segredo industrial

Chip de segurança sob a pele é testado por 196 brasileiros nos EUA

  • PorDiário de S. Paulo/Globo Online
  • 28/04/2006 10:06

Um chip implantado sob a pele, que indica a localização de vítimas de seqüestro, já é testado por 196 brasileiros. Eles são monitorados por uma central nos Estados Unidos, pois o Brasil não tem lei que regulamente esse tipo de serviço, diz o engenheiro brasileiro Ricardo Chilelli, dono da empresa americana de consultoria em segurança RCI First Security Intelligence Advising.

Segundo o engenheiro, os 196 brasileiros moram nos EUA, mas vêm com freqüência à terra natal. Eles aceitaram implantar e testar o equipamento como voluntários anônimos.

- Fora do país, o sistema funciona em caráter experimental, com autorização provisória dos governos - disse Chilelli, que pensa em trazer a tecnologia em escala comercial ao Brasil só após a homologação do sistema pelos governos americano e brasileiro.

Por hora, é impossível implantar o equipamento no Brasil até em caráter experimental.

- Não vendemos, não fazemos propaganda e não temos lista de espera para comprar - disse Chilelli.

Porém, caso um clientes seja seqüestrado no país, pode ser monitorado dos EUA. Segundo estimativa feita por Chilelli em 2005, comercializado em larga escala, o chip custaria US$ 10 mil e a manutenção mensal chegaria a US$ 800.

Chilelli conta que a tecnologia partiu de um tipo de chip que existia no mercado americano para armazenar informações médicas da pessoa. O equipamento, porém, não emitia pulsos para localização.

- Criamos um chip que manda informações de sua localização para usar em quem pratica esportes radicais, como trilhas e escaladas. Só depois testamos para combater seqüestros.

O chip tem tamanho de um grão de arroz e não usa bateria. Alimenta-se da energia gerada pelo corpo. O mecanismo usado é um segredo industrial.

Wagner Giudice, delegado da Divisão Anti-Seqüestro, afirma desconhecer o aparelho e não saber de seu uso no exterior. Até hoje nenhum dos brasileiros que participam dos testes foi seqüestrado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.