i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Vídeo

Como o brasileiro pagou R$ 50 bilhões a mais na conta de luz indevidamente

    • PorGazeta do Povo
  • 12/02/2021 11:04

O brasileiro pagou a mais pela conta de luz ao longo dos últimos anos. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) propôs a devolução de R$ 50 bilhões que foram cobrados irregularmente nas faturas. De acordo com a agência, são impostos que foram cobrados acima do patamar correto.

Esse valor se refere à cobrança de PIS/Cofins pagos a mais na conta de luz de cada brasileiro. E essa é uma questão que há tempos se arrasta na Justiça e que parece finalmente ter chegado ao fim. São quase dez anos de processos correndo sobre o assunto.

A proposta da Aneel, diante do caso, é devolver esse montante a partir de um ressarcimento para o consumidor. Isso seria feito por meio de um abatimento nos reajustes das tarifas em período de até cinco anos. Essa devolução pode fazer com que a conta de luz do brasileiro fique até 30% mais barata — lembrando que o valor exato dessa redução deve variar de acordo com a distribuidora de energia.

Para que essa devolução aconteça, ela precisa passar antes por uma consulta pública. Além disso, as distribuidoras dizem que devem levar a questão mais uma vez à Justiça, alegando que teriam direito a uma parte dos créditos por terem arcado com todos os custos e riscos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.