Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Umuarama – Donos de carros novos de Umuarama, no Noroeste do Paraná, estão em guerra com as concessionárias de veículos da cidade. Em muitos casos, os reparos e a substituição de peças com problemas, mesmo quando o carro está dentro do prazo de garantia, deixaram de ser gratuitos nas lojas. A batalha tem como juiz o Procon local, que convocou cinco concessionárias da cidade para tentar resolver o problema. No entendimento do coordenador do Procon local, Paulo Rogério Pereira, o Código de Defesa do Consumidor garante o reparo aos consumidores, principalmente para os carros que estão na garantia de fábrica.

Mauro José Martine, gerente geral da Fipal, revenda da Fiat, informou que, desde setembro do ano passado até agora, mais de 50 carros novos, de várias marcas, tiveram o motor refeito com menos de 10 mil quilômetros rodados. Ele afirmou ainda que há casos de motores que apresentaram problemas com 2 mil quilômetros. Segundo Martine, os donos de concessionárias suspeitam que os combustíveis – principalmente a gasolina – estão causando corrosão nos motores. Ele recomenda que o consumidor abasteça o carro sempre no mesmo posto e guarde a nota fiscal para eventual ação judicial.

O gerente de serviços da revenda Chevrolet em Umuarama, Idemar Ribeiro, disse que os motores estão perdendo compressão porque os anéis travam no pistão. "Pela experiência que tenho, tudo indica que o problema é ocasionado pelo combustível, mas uma conclusão vai depender de exames em laboratório", disse. Os exames estão sendo requisitados pelos empresários à Agência Nacional do Petróleo (NP). O coordenador do Procon de Umuarama diz que as concessionárias devem provar que o problema vem do combustível e que não é de fábrica. "Enquanto isso, elas devem consertar os veículos", fala.

O representante do Sindicombustíveis na região de Umuarama, João Batista Balani, disse que a qualidade dos combustíveis nos postos é atestada mensalmente pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), por meio de convênio com a ANP. De acordo com o levantamento, nos últimos três meses, das 109 amostras de gasolina testadas, 12 (11% do total) tinham algum tipo de irregularidade na região de Umuarama, Paranavaí, Guaíra e Nova Esperança. O número é mais que o dobro do registrado em todo o Paraná. No mesmo período, foram testadas 1.624 amostras em todo o estado, das quais 82 – 5% do total – tinham alguma discrepância com as especificações da ANP.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]