Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

A demora na entrega de eletrodomésticos e eletrônicos após a compra é motivo de vários desentendimentos entre consumidores e comerciantes, segundo o Procon. Para os amigos Daniel Palhano e Luciano de Paula, a espera se transformou numa verdadeira novela. Os dois tiveram de aguardar mais de um mês para receber dois aparelhos de home-theater de marca Clone que compraram da loja CMC Informática em uma feira de eletrodomésticos, no início de junho, em Curitiba. "Segundo os vendedores, naquele momento já não havia mais estoques, mas em três dias úteis eu poderia ir até a matriz da empresa retirar os produtos. Passado este prazo, nos informaram que ainda não estavam com os aparelhos na loja e nos foi pedido mais uma semana", lembra Palhano.

De acordo com o consumidor, a empresa sempre alegava que a demora na entrega era culpa da distribuidora dos produtos Clone na cidade, a MS Multimídia. Passado mais de um mês da compra, em 10 de julho, Palhano e de Paula entraram em contato com a distribuidora, que negou a falta dos equipamentos (veja e-mail), entrou em contato com a CMC para resolver a situação e ainda indicou uma loja de Curitiba que tinha o produto. "Eles foram prontamente encaminhados à Ativa Informática, pois essa loja tinha o produto e poderia vender para a CMC", disse Marcio Sieiro, da MS Multimídia.

Os amigos Palhano e de Paula fizeram então uma reclamação na Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-PR) e procuraram a imprensa para divulgar o fato. Após a pressão, no dia 12 de julho, eles finalmente conseguiram os produtos. Questionada sobre a demora na entrega, a CMC Informática limitou-se a responder que o problema era mesmo com a distribuidora. O diretor da empresa, Maurício Eduardo, conta que os consumidores tiveram a opção de receber o dinheiro de volta, mas não o quiseram.

Cuidados

O advogado Marcelo Conrado, especialista em direito do consumidor, diz que quando um comerciante anuncia um produto, ele é obrigado a tê-lo em estoque. Se o consumidor aceitar esperar, deve se proteger com provas. "Para evitar transtornos, é melhor ter algum documento que comprove a obrigação em entregar o produto, como uma nota fiscal. Caso a entrega demore, o jeito é procurar os meios legais, como o Procon ou o Juizado Cível de Pequenas Causas", orienta.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]