Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que interrompeu em outubro o processo de corte dos juros, deverá retomar a redução da taxa Selic somente em abril do próximo ano, informou nesta segunda-feira (5) o BC por meio do relatório de mercado, também conhecido como Focus. O documento é fruto de pesquisa realizada pela autoridade monetária com mais de cem instituições financeiras.

Atualmente, os juros estão em 11,25% ao ano. A taxa Selic vinha sendo cortada pelo BC desde setembro de 2005. Entretanto, no mês passado o Copom interrompeu a queda dos juros alegando que os cortes já efetuados ainda não teriam surtido efeito pleno na economia e que, portanto, a prudência seria mais importante em um momento de incerteza maior sobre a trajetória da inflação.

Em abril de 2008, segundo a expectativa dos analistas do mercado financeiro, a taxa de juros cairia de 11,25% para 11% ao ano. Em junho, por sua vez, os juros recuariam para 10,75% ao ano e, em setembro do ano que vem, para 10,50% ao ano. Já em outubro de 2008, seriam reduzidos para 10,25% ao ano, patamar no qual fechariam 2008.

Inflação

Ao definir os juros básicos da economia, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central utiliza o sistema de metas de inflação. Para este ano e 2008, a meta central é de 4,5%, com intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo. O IPCA, que serve de referência para o sistema, pode ficar entre 2,5% e 6,5% sem que a meta seja descumprida.

A projeção do mercado financeiro para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), utilizado como referência no sistema de metas de inflação, caiu de 3,86% para 3,83% para o ano de 2007. Para 2008, a projeção do mercado ficou estável em 4,10%.

Câmbio, balança comercial e investimentos diretos

A estimativa do mercado para a taxa de câmbio no final deste ano voltou a cair na última semana. A projeção para o fim deste ano passou de R$ 1,80 para R$ 1,78 por dólar. Com isso, o mercado já prevê o dólar abaixo de R$ 1,80 para o fim de 2007. Para o fim do ano que vem, caiu de R$ 1,90 para R$ 1,87 por dólar.

No caso dos investimentos estrangeiros diretos, a expectativa do mercado financeiro para o ingresso de 2007 subiu de US$ 31 bilhões para US$ 32 bilhões. Para 2008, a projeção ficou inalterada em US$ 25 bilhões.

Já a expectativa do mercado para o superávit da balança comercial de 2007 caiu de US$ 41 bilhões para US$ 40,95 bilhões na semana passada. Para 2008, a projeção recuou de US$ 34,40 bilhões para US$ 34,10 bilhões.

Produto Interno Bruto

Para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2007, a estimativa do mercado financeiro permaneceu estável em 4,70%. Para 2008, a projeção de crescimento do mercado recuou de 4,40% para 4,37%.

A projeção do mercado para o PIB de 2007 está em linha, com isso, tanto com a estimativa do governo federal quanto com a do Banco Central para este ano: 4,70%.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]