Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | LIONEL BONAVENTURE/AFP
| Foto: LIONEL BONAVENTURE/AFP

A Samsung e o Comissão de Proteção dos Consumidores (CPSC) dos Estados Unidos concordaram em expandir o recall original dos aparelhos Galaxy Note 7, bem como dos celulares substitutos entregues a consumidores – com isso, o número de smartphones que serão recolhidos no país chega a 1,9 milhão.

Todos os donos de aparelhos Note 7 poderão trocar seus celulares por outros modelos da Samsung ou receber um remuneração, segundo comunicado divulgado pela empresa e pelo órgão federal nesta quinta-feira (13). Consumidores que trocarem o Note 7 por outro celular da Samsung receberão um crédito de US$ 100, enquanto os que optarem por outra marca de celular ganharão US$ 25.

Siga a @gptecno no Twitter

Na quarta-feira, a Samsung cortou suas previsões de lucros para o terceiro trimestre em 33,3% – o equivalente a US$ 2,3 bilhões –, depois de ter decidido encerrar permanentemente a produção do celular problemático. Os aparelhos, lançados em agosto, estavam superaquecendo e pegando fogo mesmo após um recall ter sido feito para supostamente corrigir a falha.

“Estamos comprometidos em fazer tudo o que for possível para fazer isto da maneira correta”, afirmou o presidente e CEO da Samsung Electronics America, Tim Baxter.

Após três dias seguidos de queda, as ações da Samsung se recuperaram um pouco nesta quinta, subindo 1,4% na bolsa de Seul. Os papéis haviam caído 10% desde o início da semana, fazendo com que a fabricante sul-coreana perdesse US$ 21 bilhões em valor de mercado.

Alerta

O anúncio desta quinta-feira quase dobra o número inicial de aparelhos que seriam recolhidos devido às baterias explosivas nos Estados Unidos. No dia 15 de setembro, a Comissão de Proteção dos Consumidores (CPSC) anunciou um recall voluntário de quase 1 milhão de aparelhos Note 7.

“A bateria de íons de lítio dos celulares Galaxy Note 7 pode superaquecer e pegar fogo, causando sério risco de incêndio e queimaduras aos consumidores”, disse a comissão em um comunicado.

Desde o dia 15 de setembro, a Samsung contabilizou 23 novos casos de acidentes nos Estados Unidos, segundo a CPSC. Entre o total de 96 acidentes, há 13 registros de pessoas feridas por queimaduras e 47 casos de danos à propriedade.

“O anúncio do recall expandido não fará diferença na revisão das previsões de lucro feita pela Samsung nesta semana”, afirma o analista da HI Investment & Securities Song Myung-sup. “No entanto, ganhar de novo a confiança dos consumidores é um desafio bem diferente. Este efeito colateral vai se estender até o início do ano que vem”, completa.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]