i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Contas

Déficit do Brasil com o exterior no ano é o maior desde 2001

Investimentos estrangeiros diretos (US$ 62,5 bilhões) não foram suficientes para cobrir o rombo das transações correntes

  • PorFolhapress
  • 23/01/2015 09:40

O Brasil registrou em 2014 um rombo recorde nas contas externas. Os gastos brasileiros superaram as receitas em moeda estrangeira em US$ 90,9 bilhões, o equivalente a 4,17% do PIB.

O saldo negativo nas transações correntes ficou 12,1% acima do déficit de 2013, segundo os dados divulgados nesta sexta-feira (23) pelo Banco Central. Também superou a expectativa da autoridade monetária, que em dezembro estimava um déficit de US$ 86,2 bilhões.

Em proporção ao PIB, o resultado de 4,17% é o pior desde 2001, quando o déficit chegou a 4,19%, gerando desconfiança sobre a capacidade do Brasil de pagar a sua dívida.

Os investimentos estrangeiros diretos (US$ 62,5 bilhões) não foram suficientes para cobrir o rombo das transações correntes.

Em dezembro, o déficit das transações de bens e serviços com o exterior foi de US$ 10,3 bilhões.

O fraco desempenho da balança comercial, que teve em 2014 seu primeiro déficit desde 2000, foi um dos principais fatores que levaram ao déficit recorde nas transações correntes. O Brasil importou mais que exportou US$ 3,9 bilhões no ano passado.

Viagens

Também houve piora na conta de serviços. O déficit anual subiu de US$ 47,1 bilhões para US$ 48,7 bilhões.

Apesar da desvalorização do real, os gastos de brasileiros em viagens ao exterior foi recorde, chegando a US$ 25,6 bilhões. No ano passado, foram de US$ 24,9 bilhões.

Em ano de Copa do Mundo, os gastos de turistas estrangeiros no país cresceram US$ 210 milhões, muito aquém do que esperava o Banco Central.

Os gastos dos brasileiros ultrapassaram o que os turistas estrangeiros deixaram aqui em US$ 18,7 bilhões.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.