i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
trabalho

Desemprego em Curitiba cai para 4,5% em fevereiro

Índice ficou em 4,5%. No país, taxa chegou a 5,6%, levemente acima do mês anterior

  • PorPedro Bordbeck
  • 28/03/2013 21:19

A taxa de desemprego da Região Metropolitana de Curitiba fechou fevereiro em 4,5%, segundo levantamento da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes). Somente Curitiba e Salvador apresentaram queda na taxa entre as sete regiões metropolitanas pesquisadas. Em janeiro, a taxa de desocupação na cidade ficou em 4,8%.

De acordo com o diretor do Centro Estadual de Estatística do Ipardes, Daniel Nojima, o recuo da taxa se dá pela menor pressão da oferta de trabalho sobre a demanda por mão de obra no setor produtivo. "Entre janeiro e fevereiro, o indicativo é de recuperação da ocupação no setor de comércio ao lado de um declínio na área de saúde, educação e administração pública, e de estabilidade em setores como indústria e construção civil", afirma.

O rendimento médio real do trabalhador curitibano não teve cenário tão positivo. O rendimento dos trabalhadores da RMC continua acima da média nacional, mas fechou o mês em queda de 2% se comparado com o mês anterior, com uma média de R$ 1.913,90.

No Brasil, a taxa de desemprego ficou em 5,6%, levemente acima do registrado em janeiro, quando a desocupação fechou o mês em 5,4%. Para o cálculo, o IBGE não leva em conta o desempenho curitibano no período.

Futuro

De acordo com Nojima, a perspectiva é de manutenção das taxas de desemprego para os próximos meses. "A recuperação da produção industrial e dos reflexos favoráveis da comercialização da safra agrícola sobre a renda no campo, no país e no Paraná, reforçam o cenário de baixas taxas de desocupação nos próximos meses", completa.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    Fim dos comentários.