i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Mercado

Dólar mantém trajetória de queda: R$ 2,111 e Bovespa sobe 0,16%

  • PorGlobo Online
  • 02/03/2006 09:54

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) registra instabilidade nesta quinta-feira, dividida entre o bom humor e a realização de lucros. Às 12h15, o Índice Bovespa tinha 39.239 pontos, com alta de 0,16%. Minutos antes, o índice chegou a cair até 0,36%. Já o dólar à vista mantém a tendência de baixa e recuava 0,24% no mesmo horário, cotado a R$ 2,109 na compra e R$ 2,111 na venda.

Operando nas suas máximas históricas, a Bovespa tenta resistir à queda das bolsas americanas, que seriam um bom pretexto para uma realização de lucros. Mas os investidores ainda se mostram animados com a melhora da classificação de risco do país e a expectativa de queda de juros no país.

Petrobras PN, principal ação do Índice Bovespa, opera em alta de 0,59%. Entre as 57 ações do Ibovespa, as maiores altas são de CRT Celular PNA (+3,04%) e Tele Centro Oeste PN (+2,81%). As quedas mais significativas do índice são de Tim Participações PN e Sadia PN, que recuam 2,54%.

O mercado financeiro se mantém otimista com a decisão da Standard & Poor's de elevar a classificação de risco do país, anunciada na terça-feira de carnaval. Todos os ativos nacionais reagiram rapidamente à notícia, mesmo em uma quarta-feira de cinzas de negócios reduzidos. Para sustentar a alta, no entanto, a Bovespa precisará de um restabelecimento do fluxo de recursos externos, que ficou negativo em fevereiro.

A boa notícia da manhã é o saldo da balança comercial de fevereiro, que teve superávit de US$ 2,822 bilhões. O resultado da quarta semana do mês foi fundamental para o saldo final. Somente na quarta semana, o superávit foi de US$ 1,217 bilhão. O valor superou os US$ 579 milhões da terceira semana, os US$ 881 milhões da segunda, e os US$ 145 milhões da primeira.

Em meio à entrada de dólares no país, a cotação da moeda americana deve continuar a ceder indefinidamente. O Banco Central realiza no início da tarde mais um leilão de contratos de swap reverso, o que equivale a uma compra de dólares no mercado futuro. A operação deve apenas amenizar a queda da cotação, que tem seu menor valor desde março de 2001. O risco-país nacional continua a rondar as mínimas históricas, marcando 214 pontos centesimais.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.