i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
pré-sal

Dono diz que vende marca Petrosal, mas nome de nova estatal pode mudar

Em projeto enviado ao Congresso, governo criou a Petro-Sal para o pré-sal. Marca pertence a empresário fornecedor da Petrobras em Mossoró (RN)

  • PorG1/Globo.com
  • 10/09/2009 15:15

O nome escolhido pelo governo para a empresa que vai explorar o petróleo na camada pré-sal - Petro-Sal - já tem dono, um empresário da cidade de Mossoró (RN), fornecedor da Petrobras. Ele afirma ter interesse em negociar a marca, mas o governo diz que o nome da nova estatal pode mudar.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva apresentou no último dia 31 os projetos que serão discutidos no Congresso sobre a exploração da camada pré-sal. Um deles cria a Petro-Sal.

A criação da nova estatal está em fase de discussão no Congresso. Para o Ministério de Minas e Energia, os parlamentares devem discutir um novo nome para a empresa, já que o governo não tem interesse em comprar a marca.

A marca Petro-Sal está registrada no Instituto Nacional da Propriedade Industrial para a empresa do Rio Grande do Norte. De acordo com o instituto, é impossível registrar duas marcas com o mesmo nome, mas as empresas podem negociar entre si.

De acordo com Marta Castagna, agente da propriedade industrial do grupo Princesa Marcas e Patentes, responsável pelo registro da marca Petrosal do Rio Grande do Norte, é comum a negociação das marcas. "Acontece de cliente ter registro de marca e multinacionais acabam se interessando em comprar e às vezes há interesse em vender."

Segundo ela, as marcas podem custar entre R$ 100 mil e R$ 10 milhões.

O empresário Carlos Guerra, dono da Petrosal, diz que tem interesse em vender sua marca para o governo. Segundo ele, a empresa tem cinco anos, 17 funcionários e faturamento bruto de R$ 100 mil mensais. Segundo o dono da empresa, 95% do faturamento vem da Petrobras, empresa para qual a Petrosal de Mossoró fornece.

A empresa do Rio Grande do Norte faz equipamentos para máquinas de extração de petróleo e de sal, e por isso o nome Petrosal. "Trabalho com serviços de petróleo e com empresas que refinam sal, que tiram sal da superfície, nas salinas. É bem diferente do pré-sal, que vai extrair petróleo em zona de sal em profundidade", esclarece Guerra.

Ele afirma que está disposto a ceder o nome, mas precisa de contrapartida para arcar com os custos de fechamento da empresa, criação de nova marca e as outras adaptações que precisam ser feitas.

"Tenho que negociar para não começar do zero. Eu mudo se precisar, é até uma honra eles quererem usar o nome que escolhi", disse o empresário.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.