Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Antecipando a obrigatoriedade do uso de sacolas oxibiodegradáveis, grandes redes de supermercado do Paraná adotaram o modelo. A rede Condor implantou o novo modelo há um mês em suas 25 lojas, que distribuem cerca de 10 milhões de embalagens mensalmente. Há três dias, foi a vez de o Muffato passar a entregar sacolas oxibiodegradáveis nas lojas de Curitiba.

Além dos supermercados, o plástico oxibiodegradável também é adotado pela Cavo, empresa responsável pela coleta de lixo em Curitiba, e pelas 23 lojas do programa Armazém da Família, da prefeitura. Há três semanas, a obrigatoriedade de uso das sacolas foi aprovada pelos vereadores da capital paranaense. O projeto ainda precisa ser sancionado pelo prefeito Beto Richa.

A Associação Paranaense de Supermercados (Apras) não tomou partido sobre a mudança, embora seu presidente, Éverton Muffato, seja um dos proprietários do grupo do mesmo nome. Segundo o superintendente Valmor Rovaris, a associação nunca recebeu tantas manifestações a favor e contra o mesmo assunto. "Estamos preocupados, porque o tema ainda não ficou esclarecido", diz ele.

O aditivo que torna o plástico oxibiodegradável é importado da Inglaterra, mas pode vir a ser fabricado na América do Sul. De acordo com o diretor da empresa importadora da matéria-prima, Res Brasil, Eduardo Van Roost, em 60 dias a produção deve ser montada no continente. "O aditivo é de fácil produção, mas pela demanda pequena era mais viável importar", explica.

Além do Paraná, São Paulo também está discutindo o tema. A obrigatoriedade foi aprovada pelos deputados e aguarda a sanção do governador José Serra. Na capital paulista, a lei foi vetada pelo prefeito Gilberto Kassab. (PK)

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]