Günter Gehrke, Fábio Hauagge e Ricardo Fachin, diretores da FH: mercado e fôlego renovados | Brunno Covello / Gazeta do Povo
Günter Gehrke, Fábio Hauagge e Ricardo Fachin, diretores da FH: mercado e fôlego renovados| Foto: Brunno Covello / Gazeta do Povo

Com escritórios em Stuttgart, na Alemanha, e em Madri, na Espanha, a FH, consultoria empresarial criada em Curitiba há 15 anos, já tem parte da operação na Europa. No entanto, pretende ir ainda mais longe. Em 2015, a empresa quer ampliar em 30% os negócios no mercado internacional, hoje responsável por 10% da receita. Para isso, está de olho nos Estados Unidos, prospectando clientes e negócios no país. Em outra frente de expansão, assina sua primeira aquisição no início de dezembro, e está em fase de avaliação de contrato com outra empresa.

A empresa atua na área de consultoria empresarial, com soluções para a área de negócios, serviços de TI, suporte remoto e produtos para controle tributário. Com mais de 100 clientes ativos, entre empresas de médio e grande porte, e 450 funcionários, a FH deve fechar 2014 com R$ 90 milhões de faturamento, crescimento 33% maior do que o ano passado. Com a definição estratégica para 2015, a projeção é chegar ao fim do ano que vem com a receita bruta na casa dos R$ 120 milhões.

"Compras e fusões serão responsáveis por até 10% do nosso crescimento nos próximos anos. Estamos atentos a empresas que tenham soluções complementares às nossas", explica o sócio fundador Ricardo Fachin, diretor-corporativo da FH.

Diversificação

O crescimento, no entanto, não está apoiado somente no mercado externo e nas aquisições. A empresa atende clientes de todo o país nas áreas de varejo, agronegócio e manufatura. Este ano, desenvolveu projetos também para os setores financeiro, de telefonia e energia, além de calçados e vestuário. "As mudanças conceituais na área de TI, como o big data, dados na nuvem e a mobilidade, com acesso por dispositivos móveis, transformaram o negócio nos últimos anos. Hoje a área de TI passou de ser operacional para tornar-se um diferencial competitivo nas empresas", avalia Fachin.

A trajetória da FH é um exemplo dessa evolução. Há 15 anos, quando foi fundada por Fachin e o então sócio Fábio Hauagge, a empresa prestava consultoria para produtos SAP, da fabricante alemã de software, para clientes brasileiros. Hoje, também trabalha com produtos de outros fornecedores, como IBM e Microsoft, além de desenvolver soluções próprias e customizadas.

A empresa aplica entre 5% e 7% do faturamento em pesquisa e desenvolvimento para criação de novos produtos. O Guepardo, solução fiscal lançada há três anos, tem 3% do PIB do país apurado pelo sistema. Para 2015, a FH vai lançar quatro novos produtos, três globais e um para o mercado interno.

Estímulo

Outra estratégia ligada ao crescimento da empresa está na atenção às startups. Fachin é um entusiasta da nova geração de empreendedores digitais e participa das empresas como investidor-anjo e integrante de fundos de investimentos. "Temos um ganho intangível de contato com esses novos talentos e mercados nascentes", diz.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]