Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
 |
| Foto:

Um cantinho para pesquisa e inspiração

A necessidade de um espaço de imersão e inspiração para os designers na área de cores, materiais e acabamentos foi o ponto de partida para a criação da Biblioteca de Materiais, um projeto pioneiro do Centro de Design de Curitiba. O espaço reúne mais de 400 amostras de materiais disponíveis para pesquisa. Ao longo do processo de criação, os designers podem recorrer à biblioteca para buscar inspiração por meio do contato visual, tátil e sensorial-emocional com as amostras. A superfície e a aparência são o primeiro contato do consumidor com o produto. A superfície, por exemplo, favorece uma infinidade de aplicações. O objetivo da biblioteca é oferecer opções para que os designers possam surpreender os consumidores com materiais diferentes e inusitados.

Produtos

Conheça alguns dos produtos desenvolvidos a partir do Centro de Design:

Top Load Intelligent

A lava e seca foi desenvolvida por meio de pesquisas que apontaram exatamente o que as consumidoras brasileiras esperavam deste tipo de produto: uma lava e seca com design e ergonomia de uma lavadora Top Load.

Blue Touch Nutri

O fogão duplo forno Blue Touch Nutri vapor é o único no mercado com forno a gás capaz de cozinhar todos os alimentos no vapor. O fogão tem dois fornos: um elétrico e um a gás, que permitem o preparo de duas receitas simultaneamente.

Quem faz

Ano de fundação: 1996

Em que área atua: Design

Em que cidade atua: Curitiba

Quem são os donos: Electrolux do Brasil S/A

Quantos funcionários: 57 profissionais, entre designers e gestores.

Porque é bem feito: É no Centro de Design que são desenvolvidos todos os produtos da Electrolux para o Brasil e América Latina. É neste espaço que acontecem as inspirações de design baseadas nos desejos e necessidades dos consumidores

0,3% do orçamento da Electrolux no Brasil é destinado ao Centro de Design. A fatia pode parecer pequena, mas traz um retorno muito positivo para o negócio, afinal, é justamente o design que atrai os olhos dos consumidores para os produtos no ponto de venda.

  • Centro de Design da Electrolux, na sede nacional da empresa, em Curitiba. Em todo o mundo, são sete centro iguais ao da capital paranaense: Santiago (Chile); Charlotte (EUA); Estocolmo (Suécia); Singapura; Xangai (China); Sidney (Austrália); e Porcia (Itália)
  • Designer Julio Bertola, diretor de Design para a Electrolux América Latina. Julio iniciou sua carreira na Refrigeração Paraná e migrou para a Electrolux quando a multinacional comprou a empresa paranaense
  • Designer da Electrolux trabalha em um sketch de um refrigerador. O desenho em duas dimensões é o ponto de partida para todos os novos projetos
  • Além do esboço geral do projeto, os designers fazem sketches individuais de todas as funcionalidades de um produto. A digitalização é o segundo passo
  • Designer trabalha na mesa digitalizadora. O Centro de Design tem 40 profissionais de design entre designers gráficos; designers de produto; designers de interação; e designers de usabilidade
  • Designer faz o esboço de um acessório interno do refrigerador. Em média, cada profissional desenvolve cinco projetos diferentes paralelamente
  • O Centro de Realidade Virtual funciona desde 2011 com a plataforma Autodesk Showcase. Todas as fases de desenvolvimentos dos produtos podem ser discutidas ali. A ferramenta é utilizada há mais tempo pela indústria automobilística
  • Com o desenvolvimento de protótipos virtuais tridimensionais, a Electrolux encurtou o tempo de criação dos seus produtos em 50%. Além de antecipar problemas, a versão digital diminui o número necessário de protótipos físicos
  • Lizandro Chrestenzen, gerente de Design da Electrolux para a América Latina, demonstra as funcionalidades da ferramenta Autodesk Showcase, que permite desenvolver e visualizar os produtos em três dimensões
  • Iniciativa pioneira do Centro de Design de Curitiba, a Biblioteca de Materiais centraliza mais de 400 amostras de materiais para pesquisa dos profissionais
  • O espaço centraliza amostras de cores, texturas e acabamentos que servem de inspiração para os designers ao longo do processo de criação dos produtos
  • A área de cores, materiais e acabamentos no Brasil é responsável por toda a região da América Latina. A superfície dos produtos, por exemplo, favorece uma infinidade de aplicações que podem ser utilizadas para surpreender os consumidores
  • O fogão duplo forno foi uma das inovações lançadas pela Electrolux.
  • A lava e seca com design e ergonomia de uma máquina Top Load surgiu de uma demanda dos consumidores brasileiros. Para o sucesso do produto, o design precisa estar atrelado à funcionalidade
  • Refrigeradores no showroom da Electrolux. O primeiro contato do consumidor é com o produto é justamente a
  • O fogão duplo forno Blue Touch Nutri vapor é o único no mercado com forno a gás capaz de cozinhar todos os alimentos no vapor. O fogão tem dois fornos: um elétrico e um a gás, que permitem o preparo de duas receitas simultaneamente

Cada produto Electrolux vendido no Brasil ou na América Latina tem um pedaço de inovação desenvolvido aqui no Paraná – mais especificamente, no Centro de Design da multinacional sueca, em Curitiba. Em um prédio moderno, anexo à sede nacional da companhia, no bairro Guabirotuba, 57 profissionais, entre designers e gestores, trabalham para transformar eletrodomésticos em objetos de desejo.

SLIDESHOW: Veja como funciona o Centro de Design da Electrolux

É nesse espaço, constituído pela empresa em 1996, que as necessidades dos consumidores brasileiros e latino-americanos ganham formas e cores pelas mãos dos designers gráficos, de produto, de interação e de usabilidade. Aos poucos, sketches (em português, rascunhos) rabiscados no papel se transformam em refrigeradores, lavadoras e fogões.

Equipe

Cada um dos quatro gestores do Centro tem cerca de 40 projetos sob sua responsabilidade. Três profissionais trabalham com propriedade intelectual e se dedicam ao registro e à proteção jurídica de todas as inovações que nascem ali. E olha que não é pouca coisa. Em média, 150 itens, entre novíssimos e repaginados, são lançados por ano em 14 países da América Latina. Em 2012, metade desses lançamentos ficaram no Brasil. Neste ano, 100 novos modelos da Electrolux devem chegar ao mercado brasileiro.

Da ideia ao ponto de venda, o produto leva, em média, dois anos para ser concluído. Portanto, os projetos desenvolvidos hoje pelos designers serão novidade no mercado só em 2015. Antes de cair nas graças dos consumidores, porém, os modelos passam por uma maratona de testes e avaliações e precisam atingir, no mínimo, 70% de aceitação.

Tecnologia

Em 2011, o Centro de Design ganhou uma sala de realidade virtual que funciona com a plataforma Autodesk Showcase, ferramenta capaz de mostrar o que foi esboçado no papel de maneira tridimensional. A tecnologia encurtou em 50% o tempo de desenvolvimento de um produto. O que antes levava semanas agora acontece em horas, e de forma mais barata – as adaptações funcionais e estéticas que vão se mostrando necessárias ao longo do desenvolvimento de um refrigerador, por exemplo, têm custos que variam de R$ 10 a R$ 100 mil. Antecipar esses entraves antes de se fazer o protótipo físico reduz gastos. "A ferramenta também permitiu à equipe brasileira atuar em projetos colaborativos com os outros oito centros de design da Electrolux no mundo por meio de teleconferência e softwares de visualização. Em dois anos, o investimento de R$ 2 milhões no Centro de Realidade Virtual se pagou totalmente", diz Julio Bertola, diretor do Centro de Design.

Semente da área de projetos surgiu ainda na antiga Refripar

Em 1996, quando a Electrolux adquiriu o controle acionário da Refrigeração Paraná S/A – a segunda maior indústria de produtos da linha branca no Brasil na época, pertencente ao empresário paranaense Sérgio Prosdócimo – herdou também o seu departamento de design e boa parte de seus profissionais. Um deles é Julio Bertola, que começou como designer na Refrigeração Paraná e hoje é diretor do Centro de Design da Electrolux.

Segundo ele, o departamento foi resultado do trabalho de uma consultoria, que, em 1985, detectou que era preciso investir no projeto de produtos para continuar crescendo no mercado. "Começamos com um departamento de duas pessoas, trabalhando integrados com a Engenharia e o Marketing, que também se estruturaram para produzir e vender produtos com design agregado", diz Bertola. Em 1990 nasceu a área de protótipos da Refripar.

O auxílio da computação gráfica veio mais tarde e trouxe velocidade e melhores resultados para o design. "Antes, lançávamos um produto por ano. Hoje 70 novos modelos chegam ao mercado todo ano, só no Brasil", diz Bertola.

Premiação serve para buscar talentos globais

Uma impressora 3D que usa ingredientes moleculares para fazer alimentos saudáveis e ainda imprime as refeições no formato desejado. Foi esse projeto futurista – batizado de Atomium – que colocou a catarinense Luiza Silva na lista dos 20 projetos semifinalistas do Electrolux Design Lab 2013, competição da multinacional sueca que desafia jovens talentos do design mundial a criar soluções inovadoras para o futuro. Formada em Design pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UFTPR), Luiza é a única brasileira na semifinal da competição que reuniu 1.700 projetos de mais de 60 países. Os designers desenvolveram suas ideias com base no tema "Vida Urbana Inspirada", dividido em três categorias: Cozinha Social, Ar Natural e Limpeza sem Esforço. Entre os outros projetos semifinalistas estão uma parede que respira e limpa o ar; um holograma de eletrodoméstico para cozinha que evita a solidão; e um aparelho de limpeza robótico movido à energia cinética. Oito designers serão selecionados para a final, que será realizada em Estocolmo, na Suécia, no dia 16 de outubro. O vencedor receberá um prêmio de cinco mil euros e um estágio remunerado de seis meses em um centro de design global da Electrolux.

Centro de Design Electrolux

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]