i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Futuro

Estratégia precisa incluir renda fixa

  • Por
  • 07/09/2009 21:04

Ambos os especialistas alertam que uma estratégia para a aposentadoria não pode se basear somente em renda variável – ou seja, em ações. "Tem de ter uma reserva em renda fixa", ensina Mário de Almeida, da Gradual. Isso é necessário porque o mercado tem suas fases. E pode acontecer que, justo quando o investidor precisa sacar um valor, ele esteja em baixa. "Nesse casso ele vai ser obrigado a vender e concretizar um prejuízo, ou então buscar uma outra alternativa, como um empréstimo, enquanto espera pela valorização. Não é uma boa política." Para Almeida, é preciso alocar os recursos de acordo com a sensibilidade do investidor ao risco.

Raul Ribas, da Diversinvest, é favorável a uma estratégia mista, que inclua títulos públicos e ações. Os títulos podem ser adquiridos do Tesouro Direto – são papéis federais com risco baixo e liquidez (ou seja, podem ser negociados pelo próprio sistema do Tesouro Nacional, de acordo com as regras que constam no site). Os títulos têm prazos de vencimento que podem ser compatíveis com os prazos de investimento definidos pelo investidor. Na última sexta-feira, por exemplo, havia títulos disponíveis para compra com prazos até 2045.

Ribas acrescenta que essa opção funcionaria também para quem poupa para os filhos – uma prática cada vez mais comum, em que os depósitos são feitos durante a infância e a adolescência, para mais tarde financiarem a faculdade ou um curso no exterior. "É uma forma excelente, e pode incluir ainda alguma coisa em previdência privada", diz.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.