i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
contas externas

Exportações vão cair pelo terceiro ano, estima o BC

Instituição reduziu de US$ 5 bi para US$ 3 bi o superávit comercial para este ano, valor ainda acima das contas do mercado financeiro

  • PorFolhapress
  • 24/09/2014 21:24
Gasto de turistas brasileiros em agosto bateu recorde | Hugo Harada/ Gazeta do Povo
Gasto de turistas brasileiros em agosto bateu recorde| Foto: Hugo Harada/ Gazeta do Povo

As exportações brasileiras devem encolher em 2014 pelo terceiro ano consecutivo, segundo o Banco Central. O desempenho ruim do Brasil no comércio exterior até o momento levou o governo a reduzir a previsão para as exportações nacionais para US$ 240 bilhões, 1% abaixo do verificado em 2013. Desde 2011, primeiro ano do governo Dilma Rousseff, quando o país teve recorde de vendas (US$ 256 bilhões), esse montante está em queda.

Em 2013, operações contábeis envolvendo a venda de plataformas de petróleo que não deixaram fisicamente o país evitaram que o Brasil registrasse déficit. Neste ano, esse expediente também ajudou no resultado. No ano passado, essas plataformas renderam US$ 7,7 bilhões, ante US$ 2 bilhões nos oito primeiros meses de 2014.

A taxa de câmbio desfavorável ao exportador e aumento de custos que tiram competitividade do produto brasileiro são apontados por especialistas como fatores que fizeram o Brasil perder espaço no comércio internacional. O governo, no entanto, tem responsabilizado a crise internacional pelos resultados ruins também nessa área.

A expectativa de queda nas vendas para o exterior levou o BC a reduzir a estimativa final para o saldo da balança comercial. A instituição prevê um superávit de US$ 3 bilhões neste ano – em junho, previa US$ 5 bilhões. A previsão do governo ainda está acima das contas dos analistas do mercado financeiro, que preveem saldo positivo de US$ 2,4 bilhões em 2014.

A revisão das previsões na área comercial foi a principal mudança nas projeções do BC para as contas externas. No total, o país vai registrar um saldo negativo de US$ 80 bilhões nas transações com o exterior, similar ao de 2013. Essa projeção não mudou porque, de acordo com o Banco Central, espera-se saída menor de dinheiro nas contas de serviços e rendas.

Também se espera uma remessa menor de lucros para o exterior, já que a estagnação da economia levará as empresas que atuam no país a lucrar menos este ano.

Mais pressão

O déficit com o exterior se estabilizou em valores absolutos e na comparação com o PIB. Está em 3,5%, praticamente o mesmo patamar verificado nos últimos 12 meses.

Para o BC, a situação é confortável. Para analistas, não há sinais de crise, mas trata-se de um patamar elevado e que contribui para colocar pressão sobre o câmbio.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.