i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Transação

Fiat assume controle total da Chrysler por US$ 3,6 bi

O plano dos italianos é ter maior sinergia na produção de carros, aproveitando ganhos de escala para reduzir custos

  • PorFolhapress
  • 01/01/2014 17:10

A italiana Fiat comprará os 41,5% da montadora americana Chrysler que ainda não possui. Hoje, essa fatia da empresa está nas mãos de um fundo de pensão ligado aos empregados da companhia de Detroit. O valor da transação, anunciada pela Fiat hoje, é de US$ 3,64 bilhões (cerca de R$ 8,5 bilhões).

O plano dos italianos é, ao assumir o controle total da Chrysler, ter maior sinergia na produção de carros, aproveitando ganhos de escala para reduzir custos.

Segundo Sergio Marchionne, presidente das duas empresas, outro motivo que levou à compra é o desempenho atual da Chrysler no mercado americano. As caminhonetes da marca como as picapes da linha Ram, que chegam a ter mais de quatro toneladas estão, com a recuperação recente da economia americana, tendo boas vendas nas lojas daquele país.

Além disso, a maior concorrente da Chrysler, a General Motors, enfrenta dificuldades e chegou a pedir concordata em 2009.

O foco no público americano, ávido por automóveis, pode ser parte de uma estratégia de diversificação da Fiat, já que o mercado europeu, onde a empresa tradicionalmente atua, tem dado poucos sinais de que possa crescer nos próximos anos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.