i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Crise internacional

FMI destaca resistência de países emergentes à crise

  • PorAgência Estado
  • 23/09/2008 17:33
Entenda a crise, suas conseqüências e as previsões para o futuro do mercado financeiro |
Entenda a crise, suas conseqüências e as previsões para o futuro do mercado financeiro| Foto:

O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, destacou nesta terça-feira a resistência dos mercados emergentes. Mas alertou para os riscos de que os créditos podem "secar", afetando a capacidade dessas economias em continuar crescendo de forma acelerada.

Strauss-Kahn elogiou em um artigo publicado no Financial Times destasegunda-feira a situação dos mercados emergentes. "Algumas economias emergentes construíram fortes reservas, com baixa dívida e políticas monetárias confiáveis", disse. Mas admite que há quem diga que essas economias ficarão "sem rodas quando os créditos secarem e o preço das commodities caírem"

"Não podemos colocar todos os países emergentes no mesmo saco e nem tratá-los como um bloco. Alguns sairão fortalecidos pela queda nos preços de commodities e demanda menor", afirmou, se referindo aos países importadores de alimentos e outras matérias-primas.Já os demais, entre eles o Brasil, baseariam sua resistência em suas reservas e políticas responsáveis.

O FMI apela para que os países ricos sigam os passos americanos e criem planos de contingências para contar a crise internacional. A OCDE também saiu em defesa do pacote americano e, em um comunicado, elogiou a decisão de Washington. As declarações foram consideradas pelo mercado como um esforço de se mostrar que o plano americano teria respaldo das instituições multilaterais, ainda que esteja sendo atacado por governos. No próximo mês, ministros de finanças e presidentes de bancos centrais se reunirão em Washington e o diretor-gerente do FMI já alertou que quer levantar a questão da cooperação internacional durante o evento.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.