Rio de Janeiro – A Petrobras deve dobrar seus gastos com sondas e equipamentos de perfuração de poços de petróleo este ano, na esteira do superaquecimento do setor no mercado internacional. Segundo o presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli, a perspectiva é de que estes gastos atinjam US$ 7 bilhões este ano, ou cerca de 80% do volume estimado de custos do setor de exploração e produção de petróleo, ante aproximadamente US$ 3 bilhões em 2005.

O executivo afirmou que os custos só não serão maiores porque, desde o ano passado, a empresa vem adotando uma estratégia de antecipar a renovação de contratos que estavam por vencer até 2008 e ainda prorrogá-los por um prazo mais longo. "Com o aumento de custos que estamos verificando no mercado internacional ao longo do tempo, percebemos que nossa estratégia se mostrou extremamente eficiente", comentou.

A estimativa de gastos foi feita por Gabrielli ontem após a assinatura de contratos para a construção de seis sondas de perfuração, por cinco anos, a partir de 2009, no valor total de R$ 10,5 bilhões.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]