Fábrica da Opel na Alemanha: sindicatos pedem venda para evitar fechamento | Alex Grimm/Reuters
Fábrica da Opel na Alemanha: sindicatos pedem venda para evitar fechamento| Foto: Alex Grimm/Reuters

Toyota volta a suspender produção

SÃO PAULO - A Toyota planeja realizar nova suspensão em sua linha de produção no Japão para controlar o nível de seus estoques em meio à queda da demanda global. A maior montadora do mundo deve parar suas fábricas por três dias em abril. De dezembro a fevereiro, a Toyota já parou suas máquinas por 14 dias, o que reduziu pela metade seu volume de produção.

Nesta semana, a Toyota anunciou que vai oferecer um programa de demissões voluntárias a todos os seus 25 mil funcionários na América do Norte.

A montadora japonesa Nissan também anunciou paralisações de suas fábricas em estratégia semelhante à da Toyota. Neste mês, a empresa havia anunciado que cortaria 20 mil empregos em todo o mundo. No mês passado, a Honda Motor, segunda maior fabricante japonesa de automóveis, anunciou a demissão de 3,1 mil funcionários temporários no Japão e um novo corte da produção.

Folhapress

SÃO PAULO - A fabricante americana de veículos General Motors tenta obter US$ 6 bilhões em ajuda com governos de cinco países – Reino Unido, Alemanha, Suécia, Canadá e Tailândia –, além da ajuda extra de até US$ 16,6 bilhões que consta da proposta de reestruturação apresentada na terça-feira. A empresa precisa obter a ajuda até 31 de março, prazo estabelecido pelo governo para continuar a oferecer ajuda a fim de manter a empresa aberta.

A GM Europa, por sua vez, informou em um comunicado que está preparada para discutir possíveis parcerias para garantir suas operações no longo prazo. A empresa, juntamente com a Adam Opel (subsidiária da GM na Alemanha) e representantes dos trabalhadores, informou ser necessário garantir que as operações na Europa se estabeleçam em uma "base financeira saudável e sustentável".

A meta da GM é economizar US$ 1,2 bilhão em suas operações europeias; a expansão na Ásia, de acordo com a GM, não prosseguirá sem ajuda de governos ou outros parceiros. Em dezembro, a GM anunciou a abertura de uma unidade na China, para produzir o modelo Chevrolet Cruze.

Além disso, a expansão de duas unidades de produção na Tailândia está suspensa "indefinidamente", e a expansão na Índia foi classificada pela GM como inviável por não se autossustentar. Quatro de suas unidades de produção na Europa poderiam fechar, levando representantes dos sindicatos do setor automobilístico a pedir até mesmo a venda das marcas Opel e Vauxhall.

Santa Catarina

A General Motors do Brasil informou ontem que a construção da nova fábrica de motores da empresa em Joinville (SC) está mantida, mas seu início será adiado em um ano por conta das chuvas. Segundo a empresa todos os trabalhos de terraplenagem ficaram inviabilizados depois das fortes chuvas na região.

A nova previsão é de que a unidade, que receberá investimentos de R$ 500 milhões, comece a operar no primeiro semestre de 2011. A previsão inicial era de que a produção começasse no primeiro trimestre de 2010. Segundo informações da prefeitura de Joinville, o morro localizado no terreno onde será construída a fábrica desmoronou.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]