i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
setor automotivo

Governo de SP busca comprador para fábrica da Ford e sindicato do ABC vai aos EUA tentar reverter decisão

O governador paulista João Doria (PSDB) falou a grupo de jornalistas após reunião com a direção da empresa para a América Latina

    • Folhapress
    • 21/02/2019 14:13
    O governador de São Paulo, João Doria (PSDB). | Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
    O governador de São Paulo, João Doria (PSDB).| Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

    O governo de São Paulo irá procurar, em conjunto com a Ford, um comprador para a fábrica da empresa em São Bernardo do Campo (SP). A companhia anunciou na última terça-feira (19) que fechará a unidade, onde são produzidos caminhões e carros modelo Fiesta.

    O governador paulista João Doria (PSDB) falou a grupo de jornalistas após reunião com a direção da empresa para a América Latina, encontro que chamou de duro e positivo.

    Segundo ele, além da venda da unidade, foi definido que serão mantidas atividades da empresa em fábrica de Taubaté, em unidades de Barueri e Tatuí e no centro administrativo da companhia em São Bernardo, esse último com 1.200 trabalhadores.

    Também nesta quinta-feira (21), o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC avisou que tem uma reunião marcada com a direção mundial da Ford nos próximos dias para tentar reverter a decisão da empresa. “Desde que fomos surpreendidos pela decisão de fechamento, todos os nossos esforços têm sido realizados focando a reversão desse processo e a manutenção da fábrica, com seus 4,2 mil trabalhadores, mais quase 25 mil na cadeia produtiva. Vamos à matriz discutir com a direção mundial, conversamos com prefeito da cidade, teríamos conversado com o governador na manhã de hoje, se ele tivesse convidado a representação dos trabalhadores para participar, já que a pauta envolvia o futuro de milhares de metalúrgicos. Não vamos desistir de manter uma empresa com essa importância em nossa região”, disse o presidente da entidade Wagner Santana, que também se reuniu com o Ministério Público do Trabalho de São Bernardo nesta quinta (21).

    +LEIA TAMBÉM: Ford culpa prejuízo, queda nas vendas e insegurança em regras de carbono por fechamento de fábrica

    A fábrica da Ford em São Bernardo conta com 2.800 profissionais diretos e 2.000 indiretos, segundo a prefeitura da cidade. Segundo Doria, os empregos deles estão assegurados neste ano e o governo trabalha para preservá-los no futuro.

    Sobre o insucesso da companhia em vender a mesma fábrica em 2018, Doria diz que o país vive momento melhor, passada as incertezas das eleições e com um governo estadual pró-mercado. “Com exceção da Ford, o setor automotivo tem contratado em São Bernardo e em todo Grande ABC”, disse o prefeito.

    +LEIA TAMBÉM: Honda Motos vai investir R$ 500 milhões em Manaus

    Doria afirmou que, na venda da fábrica, será respeitada a liberdade de mercado e não será possível exigir do comprador a manutenção de todos os empregos, apesar de ela ser desejável.

    Sobre a GM, que ameaçou deixar o estado em janeiro, Doria disse que um anúncio a este respeito deve ser feito após o Carnaval.

    Orlando Morando (PSDB), prefeito de São Bernardo, também presente no encontro, negou que a cidade, um dos principais polos automotivos do Brasil, passe por momento de esvaziamento. Segundo ele, o caso da Ford é uma exceção e as demais montadoras seguem investindo e contratando.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.