i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Health Techs

Maior complexo hospitalar da América Latina, HC da USP terá aceleradora de inovação

  • PorSharon Abdalla
  • 01/08/2019 20:46
Foto: HC/Divulgação
Foto: HC/Divulgação| Foto:

O título de maior complexo hospitalar da América Latina parece não bastar para o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de Paulo (HCFMUSP). Em um movimento de vanguarda, o HC prepara para o próximo dia 10 de setembro o lançamento do que pretende ser o primeiro hub de inovação aberta ligado a um hospital público do país: o Distrito InovaHC, com o objetivo de gerar um ecossistema de inovação focado nas health techs.

A iniciativa é realizada em parceria com a Distrito, selecionada a partir de um chamamento público, e irá reunir startups, corporações, investidores e a universidade na busca por soluções que possam trazer benefícios à saúde dos pacientes e à sociedade, ao mesmo tempo em que sejam atraentes como negócio.

“A aceleradora integra o projeto InovaHC, baseado em quatro pilares, que vão da pesquisa à transformação dela em negócios. Ela vai receber os produtos incubados, mas que já são viáveis em termos de escala de venda para gerar um ecossistema com dois objetivos: valorizar as empresas e startups e resolver problemas relacionados à saúde pública por meio da tecnologia”, aponta Marco Bego, diretor de Inovação do HC. “A Distrito já faz essa busca de startups, e nós temos todo o know-how. Então, conseguimos unir duas forças importantes no projeto da aceleradora”, destaca.

Criar. Testar. Escalar 

Desta forma, o Distrito InovaHC funcionará como um espaço onde será possível criar, testar e escalar tecnologias e soluções de saúde a partir de problemas e demandas do próprio hospital ou de pesquisas realizadas internamente.

Para isso, a Distrito está selecionando entre 20 e 30 startups, que somarão cerca de 150 residentes, para atuar no setor das health techs. “É uma parceria muito profunda, na qual ajudamos o hospital, que se coloca como primeiro cliente, a resolver seus problemas por meio das startups e aceleramos as startups, que buscam o hospital para validar e implementar suas soluções”, resume Gustavo Araújo, cofundador da Distrito.

Além da área de 900 m² localizada dentro das instalações do HC e dedicada às atividades do hub, as startups também terão à disposição o chamado Hospital 4.0. Trata-se de um laboratório voltado a clínicas e hospitais externos que poderão visitar o hub e passar por um diagnóstico com o objetivo de identificar e entender as lacunas que precisam preencher e as tecnologias que podem adotar para isso.

“A ideia é que um hospital possa ir até lá, entender do que precisa e conhecer as tecnologias que poderemos oferecer para ele, e que foram validadas pelo HC. Ou seja, [neste processo,] o Hospital de Clínicas passa a assumir junto com a Distrito o papel de protagonista e de validador das tecnologias de saúde para que o mercado possa adotá-las”, explica Araújo.

O investimento para colocar o Distrito InovaHC em pé gira em torno de R$ 2,5 milhões. Nem um centavo desse valor, no entanto, envolve dinheiro público. O recurso virá todo das mantenedoras, entre as quais estão a AstraZeneca, Alliar Médicos à Frente, KPMG, Cremer, Grupo Mafra e Abbott. A contrapartida do HC resume-se, exclusivamente, à cessão de uso da área do hospital.

“O que queremos é criar um hub que [seja referência], para que qualquer pessoa que [busque] inovação na área da saúde pense no HC”, resume Bego. “O setor da saúde é um dos que está mais atrasado na adoção de novas tecnologias. São poucos os players. Então, é uma área na qual ainda há muita oportunidade”, completa cofundador da Distrito.


1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 1 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • L

    LUIZ MARTINS JR

    ± 15 horas

    A ciência escravizada pelo mercado. Perigoso.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]