i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Comércio

IDV prevê varejo em recuperação no 2º semestre

Presidente da entidade avalia que as vendas do varejo em junho e julho foram prejudicadas pelo menor número de horas trabalhadas

  • PorAgência Estado
  • 26/08/2014 07:15

O presidente do Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV) e da Riachuelo, Flávio Rocha, considera que há expectativa de recuperação das vendas no varejo no segundo semestre de 2014. Durante o Fórum de Varejo da América Latina, Rocha afirmou que o índice antecedente que coleta expectativas de grandes varejistas associados ao IDV indica que agosto, setembro e outubro podem ter crescimento de vendas até mesmo superior ao do primeiro semestre de 2013, período que antecedeu uma desaceleração que começou com as manifestações de junho do último ano.

Na avaliação de Rocha, as vendas do varejo em junho e julho foram prejudicadas pelo menor número de horas trabalhadas. Paradas em dias de jogos durante a Copa do Mundo reduziram o período de funcionamento de lojas no País. . "Esse soluço dos últimos meses tem a ver com o número reduzido de horas de trabalho", declarou.

Rocha ainda ressaltou que o varejo vem crescendo num ritmo mais acelerado que o do crescimento do PIB brasileiro e criticou a oposição entre alta de consumo e dos investimentos. "É um dilema que não cabe, uma vez que o comércio tem sido um propulsor do desenvolvimento e há aumento da demanda por itens de consumo", ponderou.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.