i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Crise mundial

Indústrias da China, Índia e Rússia cortam produção e empregos

  • PorReuters
  • 02/01/2009 07:23

Indústrias na China, índia e Rússia cortaram produção e empregos em ritmo recorde em dezembro, em mais um sinal da luta dos grandes mercados emergentes do mundo diante da recessão que afeta a maioria das nações industrializadas.

Economistas e formuladores de política veem China, Índia, Rússia e Brasil, com seus vastos mercados e aumento da riqueza, como os motores do crescimento que pode salvar o mundo de uma recessão. Estas esperanças estão desaparecendo rapidamente e as estimativas estão ficando ruins.

O governo da Coreia do Sul alertou os exportadores, ao afirmar que 2009 será ainda mais duro do que o ano passado, enquanto Cingapura disse que sua economia, referência para o comércio global, vai encolher 2,8 por cento, o recuo mais acentuado em sua história.

Em todos os lugares, desde o corte de vagas nas fábricas chinesas até a maior queda nos preços de moradias na Coréia em cinco anos, há sinais de que a desaceleração das exportações está reverberando nas economias domésticas.

"O que está preocupando é que a fraqueza está se espalhando rapidamente dos setores voltados para os mercados externos para outros segmentos focados no mercado doméstico", disseram analistas do OCBC Bank em Cingapura, em nota a clientes após o país anunciar os dados sobre o Produto Interno Bruto (PIB).

Mercados

Em contraste com a rápida deterioração das perspectivas econômicas, o humor dos mercados melhorou um pouco. Depois de terem colocado o dinheiro em ativos mais seguros ao longo do último trimestre, investidores estão de olho em ativos que sofreram muito durante a turbulência de 2008.

Os mercados acionários da Ásia, Austrália e Nova Zelândia subiram nesta sexta-feira.

"Parece que o olho da tempestade já passou", afirmou Robert Rennie, estrategista-chefe de moedas da Westpac, em Sydney.

Para as indústrias chinesas e formuladores de política que tentam conter a desaceleração econômica, ainda existe muitos motivos para o pessimismo.

A atividade manufatureira caiu pelo quinto mês consecutivo, refletindo o efeito da crise sobre a demanda dos exportadores, mostrou pesquisa divulgada nesta sexta-feira.

O índice de atividade do setor caiu para 41,2 pontos, ante recorde de baixa de novembro, quando o indicador registrou leitura de 40,9 pontos.

O sub-índice de produção caiu para 38,6, sinalizando a contração mais acentuada na produção desde que a pesquisa foi lançada, em abril de 2004.

os indicadores de atividade manufatureira da Rússia e da Índia também apresentaram leituras similares à da chinesa.

No caso da Rússia, a contração do setor manufatureiro é mais profunda do que o tombo registrado durante a crise financeira de 1998.

Na Índia, fabricas cortaram vagas pela primeira vez em três anos e meio de pesquisa para reduzir custos.

Nos três países, indústrias reportaram queda nas encomendas de exportação com a recessão resfriando a demanda em seus três maiores mercados, os Estados Unidos, Japão e a Europa.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.