i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Opinião

Inflação controlada, mas nem por isso insignificante

  • PorFernando Jasper, editor interino de Economia
  • 07/08/2013 21:20

A presidente da República e o ministro da Fazenda refestelaram-se ontem com o IPCA mensal mais baixo em três anos, aproveitando para afirmar que a inflação "sempre esteve sob controle".

De fato, uma inflação anual entre 6% e 7% está bem distante do que os brasileiros conhecemos por "descontrole". Mas isso não significa que ela esteja baixa. Continua um tanto além do que seria justo esperar de uma economia civilizada.

Compare o índice atual – de 6,3% em 12 meses – com o rendimento da poupança, hoje em torno de 5,3% ao ano. Ou com o rendimento das contas do FGTS, de 3%. Isto é, o Fundo de Garantia do trabalhador "rende" metade da inflação e o governo acha que está tudo bem.

Também é importante lembrar que parte do controle da inflação tem um alto custo para as contas públicas. Se por um lado não consegue conter seus próprios gastos (que geram inflação), por outro o Planalto tem feito um punhado de malabarismos para segurar os preços administrados, como energia, combustíveis e outros.

Esse esforço, custeado pelo Tesouro ou por estatais como a Petrobras, não sairá de graça para os brasileiros. O que não pagamos como consumidores, estamos pagando na condição de contribuintes. Cedo ou tarde, a conta chega.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.