i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Preços

IPCA variou 0,41% em fevereiro

  • PorGlobo Online
  • 10/03/2006 15:44

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do mês de fevereiro subiu 0,41%, abaixo da taxa de 0,59% de janeiro, informou nesta sexta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado ficou dentro das expectativas do mercado, que esperava uma inflação entre 0,30% e 0,48%.

Nos dois primeiros meses do ano, o índice acumula taxa de 1,02%, resultado inferior ao dois primeiros meses de 2005, quando atingiu 1,17%. Nos últimos doze meses, o acumulado ficou em 5,52%, também abaixo da taxa de 5,70% registrada nos doze meses imediatamente anteriores. Em fevereiro de 2005, o IPCA variou 0,59%.

As mensalidades escolares, que sofrem reajuste no início do ano, exerceram a maior influência na inflação do mês, com contribuição de 0,21 ponto percentual, mais da metade do resultado. No entanto, as reduções de preço nos grupos de vestuário (-0,54%), artigos de residência (-0,39%) e alimentação e bebidas (-0,28%) puxaram o índice para baixo.

A coordenadora de Índice de Preços do IBGE, Eulina Nunes dos Santos, disse nesta sexta-feira que a queda para 0,41% do IPCA em fevereiro indica que o índice está convergindo para números menores que podem atingir a meta do BC, de 4,5%, ou serem até mesmo inferiores a esse patamar. Segundo ela, ao avaliar a série histórica dos últimos 12 meses, fica claro uma tendência de queda.

Eulina disse ainda que não há motivos que indiquem alta da inflação em março, com exceção da expectativa de um crescimento dos preços do álcool, que refletem também nos preços da gasolina.

PROMOÇÕES - Roupas e artigos de residência ficaram mais baratos por causa de promoções. As roupas masculinas ficaram 1,11% mais baratas e as femininas, 0,88%. Aparelhos de TV, Som e Informática passaram a custar menos 1,32%.

Muitos alimentos tiveram seus preços reduzidos de janeiro para fevereiro e alguns chegaram a ter deflação. A cenoura passou de uma alta de 15,82% para uma queda de 16,51% e a batata-inglesa de 17,48% para -10,26%. A carne seca passou de -4,48% para -7,40%, o feijão-preto de 2,74% para -6,84%, e o frango, influenciado pela queda da demanda pelo produto no exterior por causa da gripe aviária, caiu de -3,60% para -5,51%.

Em relação às altas, açúcar refinado (de 6,10% para 12,59%) e açúcar cristal (de 12,80% para 11,58%) estão na lista. Os preços seguem o mercado internacional e são pressionados por uma demanda forte dos derivados da cana-de-açúcar. O litro do álcool também subiu, embora menos neste mês (passou de 9,87% em janeiro para 2,88% em fevereiro).

Em relação às altas, destacam-se também os aumentos nas passagens dos ônibus urbanos que, apesar de terem subido menos do que em janeiro (1,82%), ficaram 1,25% mais caras em fevereiro.

Na quarta-feira, o Banco Central adotou uma postura conservadora e cortou os juros em 0,75 ponto percentual, para 16,5% ao ano, embora muitos economistas considerassem haver espaço para uma redução mais agressiva. O principal argumento do BC é o controle da inflação. Nessa quinta-feira, o IBGE divulgou uma queda de 1,3% da produção industrial em fevereiro.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.