O presidente da Apple, Steve Jobs, anunciou um modelo de propaganda para aparelhos móveis com o qual pretende abocanhar, já no segundo semestre, 50% do mercado de publicidade americano desse segmento.

O anúncio foi feito ontem, durante uma conferência de desenvolvedores de aplicativos para aparelhos da Apple, em San Francisco. No encontro, Jobs apresentou o aguardado iPhone4. O aparelho é o mesmo que foi encontrado em um bar da Califórnia em março e acabou parando nas mãos de um jornalista do blog de tecnologia Gizmodo.

Com contratos firmados com mais de 15 anunciantes – incluindo Nissan, Unilever, Disney e Chanel – Jobs pretende transformar o iAds em uma máquina de fazer dinheiro tão poderosa quanto os aplicativos. "Vamos gerar US$ 60 milhões com o iAds só neste segundo semestre’’, disse Jobs, que passou as últimas 8 semanas trabalhando no projeto do iAds. Os anúncios estreiam no dia 1º de julho. O mercado de propaganda para celular nos EUA este ano deve movimentar US$ 250 milhões.

Downloads

A loja de aplicativos da Apple contabiliza 5 bilhões de downloads, que renderam US$ 1 bilhão para os desenvolvedores – 70% das receitas totais. No caso da publicidade, a Apple ficará com 40% da receita e 60% irá para os desenvolvedores. "Queremos que vocês criem mais e mais aplicativos gratuitos ou de baixo custo’’, disse Jobs para a plateia de mais de 5 mil desenvolvedores. A venda dos anúncios é feita pela própria Apple. "Vocês só precisam dizer onde no aplicativo devemos colocar os anúncios’’, disse Jobs.

Diferentemente das propagandas existentes nos aplicativos dos velhos iPhone, o novo sistema operacional do iPhone4 (iOS4) permite ver o comercial sem sair do aplicativo. Na tela inicial do aplicativo, o anúncio parece um simples banner, mas basta um toque para o anúncio ocupar a tela inteira e outro para sair dele.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]