• Carregando...

Começam a valer nesta terça-feira (1º) as alíquotas mais altas de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializadas) para produtos da linha branca (fogões, refrigeradores e tanquinhos) e móveis.

Os novos percentuais foram anunciados na última semana, apesar das tentativas do varejo para manutenção da redução do imposto até 2014.

As alíquotas vão vigorar até o dia 31 de dezembro deste ano e, na maioria dos produtos, o reajuste foi parcial -quando comparadas com as taxas originais que vigoravam em 2011, antes de o governo adotar pela primeira vez medidas de incentivo fiscal para os setores.

No caso de refrigeradores, a alíquota subirá de 8,5% para 10% em outubro, originalmente era de 15%. O imposto dos tanquinhos passa de 4,5% para 5%, o inicial era de 10%. Já a alíquota de móveis e painéis de madeira sobe de 3% para 3,5%.

O IPI dos fogões, que passará de 3% para 4%, volta à alíquota inicial, antes de a política de redução do imposto ser adotada para estimular o consumo e a economia.

Somente a alíquota das máquinas de lavar foi mantida em 10%, como sinalizou o governo desde junho. Antes dos incentivos, o imposto sobre esse produto era de 20%.

Segundo o governo a decisão de retomar parcialmente as alíquotas foi tomada porque as vendas e a produção nesses setores têm apresentado bom desempenho.

Além do IPI reduzido, o programa Minha Casa Melhor, que subsidia a compra de eletrodomésticos e móveis para moradores do Minha Casa, Minha Vida, tem aumentado as vendas do varejo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]