i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Economia

Irã diz que não haverá mais cortes na Opep caso petróleo suba

  • PorReuters/Brasil Online/O Globo Online
  • 17/02/2007 07:15

O ministro iraniano do Petróleo, Kazem Vaziri-Hamaneh, disse neste sábado não esperar um novo corte de produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) caso os preços do petróleo continuem a subir, mas admitiu que esse quadro pode mudar se os preços recuarem.

Vários ministros da Opep afirmaram que não haverá necessidade de mais cortes na produção para aumentar a prometida redução de 1,7 milhão de barris por dia. A diminuição mais recente foi implementada em fevereiro. As autoridades do grupo se reúnem dia 15 de março em Viena.

``Se a tendência dos preços seguir assim, possivelmente nenhum novo corte da produção será discutido além do de 500 mil barris (por dia) que nós fizemos em fevereiro'', disse o ministro a jornalistas durante uma conferência em Teerã.

``Mas se o preço cair e a tendência mudar, naturalmente outras questões podem ser discutidas'', declarou.

Os preços do petróleo atingiram a mínima em 20 meses a 49,90 dólares por barril em 18 de janeiro, já que o tempo ameno conteve a demanda nos Estados Unidos, maior mercado consumidor do mundo. Os preços avançaram a cerca de 60 dólares, puxados pela volta das temperaturas mais frias e cortes de fornecimento pela Opep.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.