O ministro de Minas e Energia do Brasil, Silas Rondeau, preferiu não polemizar nesta quinta-feira com as declarações do presidente da Bolívia, Evo Morales, de que o país não irá indenizar a Petrobras pelas ações de suas empresas no país que serão repassadas à estatal boliviana YPFB. Ele ressaltou que as negociações serão feitas no âmbito das comissões técnicas que serão criadas para discutir o tema.

Rondeu, no entanto, disse que o Brasil irá recorrer até as últimas instâncias para garantir a indenização da Petrobras.

- Entendemos que há um espaço legal avaliado pela nossa consultoria judricia e pretendemos recorrer até as últimas instâncias no sentido de que a compensação existe e precisa ser pleiteada. Precisamos cumprir o que foi negociado lá: tirar a discussão de preços da imprensa e colocar na mesa de negociação, amparada pelo contrato. É nisso que estamos apostando - disse, em entrevista à GloboNews TV.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]