i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Risco

Moody’s diz que rating atual do Brasil contempla eventual apoio financeiro à Petrobras

Governo brasileiro temia que o contágio da Petrobras sobre a nota de crédito soberana do país

    • Reuters
    • 25/02/2015 18:52

    O atual rating do Brasil atribuído pela agência de risco Moody’s contempla uma série de cenários, incluindo alguns mais adversos que envolvem alguma forma de apoio financeiro para a Petrobras, disse nesta quarta-feira (25) o analista de crédito soberano da Moody’s Mauro Leos, em nota.

    “Em nenhum dos cenários a dívida brasileira ultrapassaria 70% do PIB (Produto Interno Bruto). Esse nível ainda seria compatível com o rating ‘Baa2’, no caso de continuarmos confiantes de que o governo irá responder com um plano crível para alcançar a consolidação fiscal, a melhoria das métricas de dívida e maior investimento e crescimento”, disse Leos, responsável por cuidar da nota de crédito do Brasil.

    O rating do Brasil pela Moody’s é o segundo menor dentro da escala do grau do investimento. A nota tem perspectiva negativa.

    Leos disse ainda que um aumento forte no patamar da dívida pública aumentaria a pressão sobre a classificação de risco do país. No entanto, ele afirmou que a avaliação da força de crédito do Brasil “continuaria a ser motivada pela nossa avaliação de credibilidade dos planos do governo e dos prospectos econômicos e fiscais de médio prazo”.

    Petrobras

    No fim da terça-feira (24), a Moody’s reduziu o rating da Petrobras em dois degraus, colocando a estatal no nível “junk” (grau especulativo), devido às investigações sobre corrupção e pressões de liquidez que podem resultar do atraso da divulgação das demonstrações financeiras auditadas pela estatal.

    Mais cedo nesta quarta-feira (25), uma fonte do governo brasileiro reconheceu que o temor de contágio da Petrobras sobre a nota de crédito soberana, mas disse que a equipe econômica tem confiança de que o rating do Brasil não será rebaixado.

    Segundo essa fonte, que falou sob condição de anonimato, o governo deverá anunciar novas medidas fiscais nos próximos dias, com expectativa de que elas sejam recebidas pelas agências de risco como mais um sinal de compromisso da equipe econômica da presidente Dilma Rousseff com a melhora das contas públicas.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.