i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Pronunciamento

Na TV, Dilma diz estar insatisfeita com taxas de juros

Dilma destacou o que chamou de "marcha inédita de redução constante e vigorosa" dos juros, que levou a taxa Selic a chegar atualmente em cerca de 2% ao ano em termos reais

  • PorAgência Estado
  • 06/09/2012 18:37

A presidente Dilma Rousseff avaliou, na noite desta quinta-feira (6) em pronunciamento em rede nacional, que as medidas de redução do custo da energia e dos transportes que o governo vem anunciando darão ainda mais condições para a queda dos juros, a diminuição da carga tributária e o equilíbrio do câmbio no País. Para ela, essas mudanças estruturais irão "revigorar" os fundamentos da política econômica brasileira.

Dilma destacou o que chamou de "marcha inédita de redução constante e vigorosa" dos juros, que levou a taxa Selic a chegar atualmente em cerca de 2% ao ano em termos reais. A presidente citou ainda a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) que baixou para menos de 1% ao ano, também descontada a inflação.

Apesar disso, Dilma lançou novamente um recado claro aos bancos, que ainda cobram spreads elevados aos tomadores de crédito. "(A queda dos juros) me alegra, mas confesso que ainda não estou satisfeita, porque bancos, financeiras e, de forma muito especial, os cartões de crédito podem reduzir ainda mais as taxas cobradas ao consumidor final, diminuindo para níveis civilizados os seus ganhos. Sei que não é uma luta fácil, mas garanto a vocês que não descansarei enquanto não ver isso se tornar realidade", enfatizou a presidente.

Ela também se comprometeu a promover novos cortes de impostos e tarifas, com a ressalva de fazer isso sem prejudicar as contas públicas e a política social de seu governo. "Estou disposta a abrir um amplo diálogo com todas as forças políticas e produtivas para aprimorarmos o nosso sistema tributário", concluiu.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.