i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Internet

Brasil é o 79º colocado em ranking mundial de velocidade de conexão à Internet

Mesmo apresentando um aumento de 51% em relação ao ano passado, Brasil ficou em posição intermediária no relatório da Akamai

  • PorDa redação
  • 08/06/2017 14:57
Fibra óptica | Groman123Flickr
Fibra óptica| Foto: Groman123Flickr

A Akamai, uma empresa global que distribui imagens e vídeos na Internet para grandes clientes como Facebook e Amazon, publica periodicamente um relatório que avalia e classifica a velocidade da Internet em mais de 200 países. O último, divulgado hoje (8), revela que embora os números do Brasil tenham melhorado, ainda estamos abaixo da média mundial em métricas importantes de acesso à rede.

LEIA MAIS notícias de negócios e tecnologia

Segundo a Akamai, a velocidade média global de conexão à Internet, considerando apenas a banda larga fixa, foi de 7,2 Mbps no primeiro trimestre de 2017, um aumento de 15% em relação ao mesmo período de 2016.

Mesmo registrando uma leve queda em relação ao ano passado, de 1,7%, a Coreia do Sul se manteve na liderança do ranking de países. A velocidade média registrada no país asiático foi de 28,6 Mbps.

No Brasil, a velocidade média apontada foi de 6,8 Mbps, um aumento considerável, de 51%, em relação à média de um ano atrás. Na região das Américas, que inclui Estados Unidos, México e países da América Central, o Brasil foi o país que apresentou o maior salto em um ano. Em seguida, vêm Uruguai (34%) e Chile (27%).

Observando o ranking global, que contempla mais de 200 países e tem por critério um número mínimo de requisições feitas aos servidores da Akamai, vê-se que o Brasil aparece numa posição intermediária. O país é apenas o 79º colocado, à frente de alguns vizinhos latino-americanos como a Argentina (90º, com média de 6,3 Mbps) e Peru (91º, com média de 6,2 Mbps), mas atrás de outros tantos – Uruguai (57º, com média de 9,5 Mbps) e Estados Unidos, líder na região e 10º no ranking global, com velocidade média de 18,7 Mbps.

A Akamai também analisa a média de picos de velocidade nesses países, ou seja, os aumentos esporádicos na velocidade que os usuários podem esperar de suas conexões. Nesse critério, o Brasil é o 84º colocado, com a média de picos de 46,5 Mbps. O líder é Singapura, com 184,5 Mbps.

Conexões móveis

O relatório da Akamai também contempla as conexões móveis. Nesse ranking, o Reino Unido ficou em primeiro lugar, com velocidade média de 26 Mbps. No Brasil, a velocidade média das conexões móveis foi de 5,2 Mbps.

O relatório da Akamai revela uma situação inusitada em países que começaram tarde a se conectarem à Internet e, agora, passam a investir mais pesadamente nas conexões móveis. No Quênia, por exemplo, a velocidade média das conexões móveis já é maior que a da banda larga fixa – 13,7 Mbps contra 12,2 Mbps.

O relatório completo (em inglês, PDF) pode ser baixado aqui mediante o preenchimento de um cadastro.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.