Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Economia
  3. Nova Economia
  4. Embraer entrega primeira unidade do jato E190-E2 a companhia da Noruega

Aviação civil

Embraer entrega primeira unidade do jato E190-E2 a companhia da Noruega

Cerimônia de entrega das chaves foi emotiva para funcionários da empresa e para o cliente norueguês, a Widerøe, que estreia a nova aeronave

  • Jacqueline Lafloufa, especial para a Gazeta do Povo
E192-E2 entregue à Widerøe. | Embraer/Divulgação
E192-E2 entregue à Widerøe. Embraer/Divulgação
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Na manhã desta quarta-feira (4), em São José dos Campos, interior de São Paulo, a Embraer oficializou a entrega do seu novo jato E190-E2, primeiro avião da nova geração de E-Jets, que taxiou pela pista ao som de “Garota de Ipanema”.

A “coisa mais linda” da Embraer é, segundo Paulo César de Silva e Souza, CEO da empresa, uma aeronave que faz história, não só pela tecnologia e por ser mais ecológica, mas também por ter sido entregue dentro do prazo.

Contando com 75% de sistemas novos em comparação com a geração anterior, o E190-E2 se destaca por ser a aeronave de corredor único mais eficiente do mercado e o avião mais ambientalmente consciente da categoria, com menor nível de ruído interno e de emissões de poluentes. Inspirado pela indústria automobilista, os novos jatos E2 também oferecem benefícios para os passageiros, que contarão com controles de luz e ar condicionado individualizados, assentos ultrafinos que dão mais espaço para as pernas e janelas que permitem maior entrada de luz natural na aeronave. O conforto também poderá ser experimentado com o uso da tecnologia SKYfi Club, que permite fazer streaming de conteúdo de áudio e vídeo sem fio a bordo, diretamente nos celulares e tablets dos passageiros.

LEIA TAMBÉM: E190-E2 e KC-390: os novos aviões da Embraer para 2018

Silva também agradeceu aos 18 mil funcionários da Embraer pelo empenho. Parte deles estava presente na cerimônia de entrega, uniformizados em verde e azul, e celebraram dançando enquanto a simbólica chave do E190-E2 era entregue aos executivos da Widerøe, companhia aérea norueguesa que adquiriu a primeira unidade.

Entre os representantes da Widerøe, houve risos de alegria e algumas lágrimas de comoção. Stein Nielsen, CEO da empresa norueguesa, agradeceu a Embraer pelo empenho na pontualidade da entrega da nova aeronave e pela persistência na parceria com a companhia, considerada a maior da Escandinávia. “Ainda que existam diferenças culturais, estamos impressionados com a paixão e o comprometimento da Embraer nesta entrega”, reforçou ele, antes de abrir os braços e dizer considerar todos “parte da família” Wideroe.

O E190-E2 fará seu voo inaugural entre as cidades de Bergen e Tromsø, na Noruega, em 24 de abril. A unidade adquirida pela Widerøe está configurada com 114 assentos em layout de classe única. A companhia fez um pedido de até 15 jatos da nova geração de E-Jets da Embraer (o E190-E2 é o primeiro deles), sendo três deles firmes para o recém entregue E190-E2, e os direitos de compras de mais 12 E2. Se todos os pedidos forem executados, o total investido pela companhia Widerøe será de aproximadamente US$ 873 milhões.

Caso Boeing

Questionado pelos jornalistas sobre o avanço das negociações com a Boeing, Silva confirmou que as conversas continuam, mas que não há novidades. A última que se tem é de que Boeing e Embraer estariam preparando uma proposta para a criação de uma nova empresa.

O CEO da Embraer não esclareceu como potencialmente seria feita a proporção da propriedade da Boeing sobre a Embraer, mas fez questão de ressaltar que o acordo com a Boeing não é essencial para a continuidade dos serviços da empresa. “É preciso ter conforto de todas as partes: do governo brasileiro, da Boeing e da Embraer também. Depois, ainda que haja um acordo, ainda teremos toda a parte legal, em vários países, então a operação pode levar muito tempo”, salientou.

LEIA TAMBÉM: Volkswagen investe R$ 2 bilhões em fábrica paranaense para produzir carro inédito no país

Silva também comentou brevemente sobre o rumor de uma potencial oferta da Comarc para concorrer com a proposta da Boeing, reforçando que a Embraer está atenta aos movimentos do mercado e que com certeza estaria aberta a conversar com outros players interessados. “Caso haja alguma coisa que nos interesse, sim, nós vamos avaliar”, finalizou ele.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE