i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Polêmica

Lei que regula Uber, Cabify e 99 ganha novo texto no Senado

Substitutivo apresentado por Pedro Chaves (PSC-MS) atende às reivindicações dos apps. Foi concedida vistas coletivas para que os senadores analisem o novo texto

    • Infomoney
    • 27/09/2017 12:24
    Adesivo da Uber em carro preto | SPENCER PLATT/AFP
    Adesivo da Uber em carro preto| Foto: SPENCER PLATT/AFP

    O projeto de legislação que pretende regulamentar aplicativos de carona ganhou um texto substitutivo nesta terça-feira (26). O relator Pedro Chaves (PSC-MS) usou partes de três propostas para redigir a nova versão — o PLS 530/2015, do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES); o PLS 726/2015, do senador Lasier Martins (PDT-RS); e o PLC 28/2017, do deputado Carlos Zarattini (PT-SP).

    LEIA: Projeto pode acabar com aplicativos de transporte? Veja o que dizem Uber, Cabify e 99

    Uma das maiores reivindicações dos representantes dos aplicativos de caronas foi atendida: não haverá necessidade de emplacar os veículos na cor vermelha, podendo manter as placas comuns, de cor cinza.

    O texto obriga que interessados em exercer atividades como motoristas de apps de transporte cumpram alguns requisitos. Entre elas, Carteira Nacional de Habilitação (CNH) com a observação de exercício de atividade remunerada inscrição como contribuinte no INSS.

    Fica vetada a atividade a condutores com antecedentes criminais relativos a: crimes de trânsito, crimes contra a dignidade sexual, homicídio, lesão corporal grave ou seguida de morte, sequestro e cárcere privado, tráfico de pessoas, roubo e extorsão mediante sequestro e outros crimes “praticados mediante violência contra a pessoa ou grave ameaça”.

    Aplicativos serão obrigados a possuir sede, filial ou representação no Brasil; enviar ao usuário, antes do início da viagem, nome e fotografia do condutor e placa do veículo e armazenar informações sobre as viagens realizadas. Os provedores do aplicativo também ficarão proibidos de exigir exclusividade dos motoristas, que poderão prestar serviço a quantos aplicativos desejarem. As autoridades competentes ficarão responsáveis por fiscalizar as atividades dos motoristas e das empresas donas dos aplicativos.

    Tramitação

    Após a leitura do substitutivo, o presidente da Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT), senador Otto Alencar (PSD-BA), concedeu vista coletiva para que os senadores possam analisar o novo formato. É possível que haja pedido de urgência para que o projeto siga direto para o Plenário do Senado após aprovação pela CCT, que deve ocorrer na próxima semana. Caso contrário, ele passará por outras quatro comissões permanentes. 

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.