i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Comércio

Obras agitam 22 shoppings da cidade de São Paulo

  • PorO Globo Online
  • 07/11/2006 17:06

A maior cafeteria do mundo, a Starbucks, abre suas portas na semana que vem em São Paulo. Na última sexta-feira, foi a vez da mega Fnac se instalar quase vizinha à recém-inaugurada loja da livraria Cultura. E as três escolheram se abrigar aonde? Em shoppings.

São Paulo parece ter fôlego infindável para acolher novos shoppings e os antigos estão agora em plena fase de reforma e ampliação. Não é para menos. Por dia, pelo menos 866 mil pessoas compram algum produto num shopping paulistano. Enquanto se anuncia a inauguração do sofisticado Cidade Jardim - às margens da Marginal Pinheiros, quase em frente à Daslu - e do novato Bourbon, que escolheu como vizinho o West Plaza, outros 22 centros de compra estão em obras na cidade para atender o desejo de consumo dos paulistanos.

Nesta sexta-feira, um dos mais antigos da capital o Morumbi, na zona sul, inaugura nova ala com mais 80 lojas e 600 vagas de estacionamento.

- Depois de quatro ou cinco anos, qualquer shopping fica com a arquitetura ultrapassada. Se não se revitalizarem, perdem clientes, ainda mais agora com tantos shoppings em construção - diz o presidente da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping, Nabil Sahyon.

Na lista de grifes do Morumbi vão estrear Oakley, Mormaii e Spezzato Teen. Marcas famosas do Rio também aportam por lá, como Gang, Bumbum Ipanema e Blue Men. Nem mesmo os empresários do ramo de alimentação escapam da sina dos corredores lustrados: o restaurante Apple Bees's.

Por enquanto, o Iguatemi é considerado o shopping mais luxuoso de São Paulo, mas o Cidade Jardim promete superar. A construtora JHSF mantém os nomes das marcas nacionais e estrangeiras sob sigilo. Serão 120 lojas. Já estão confirmadas, porém, a instalação de uma academia Reebok, do Empório Fasano e da Livraria da Vila, além de oito salas de cinema da Cinemark, uma delas dedicada a filmes europeus. O empreendimento inclui ainda quatro torres comerciais de 25 andares e cinco edifícios residenciais. O preço dos apartamentos varia de R$ 1,5 milhão a R$ 10 milhões. Até agora, foram lançadas quatro torres, que deverão ser entregues em 2007. Tudo já foi vendido.

O Pátio Higienópolis, segundo endereço comercial mais caro da cidade, já arrematou imóveis ao redor para ampliar o número de lojas. Também haverá mudanças no Market Place, onde a livraria Cultura instalou sua megaloja. O shopping, que atrai as crianças por causa da extensa programação de filmes infantis, terá também um novo parque infantil. O atual vai dar lugar a uma filial do Parque da Mônica, segundo informações de mercado. Além disso, serão abertas 53 lojas.

- Neste momento, também estão em ampliação o shopping Anália Franco, Frei Caneca, Vila Lobos e Ibirapuera - disse o presidente da Associação dos Shoppings.

No Ibirapuera, outro da safra antiga, o estacionamento do subsolo foi fechado para dar lugar a cinemas, provavelmente da rede Cinemark. No shopping Paulista, a meta também é a sofisticação para se adequar ao público. O nome vai até mudar para Pátio Paulista, seguindo o exemplo do Higienópolis. Um teatro será instalado para acompanhar a movimentação natural da avenida, já conhecida pela oferta de cinemas.

Segundo a Alshop, os shoppings paulistanos recebem 26 milhões de pessoas por mês, o equivalente a um quarto dos consumidores de shopping de todo o país. E este número cresce a taxas de 10% ao ano. Nas grandes cidades, a busca por segurança impulsiona a ida aos shoppings, por causa da segurança.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.