i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Encontro emergencial

Opep se reúne para discutir queda no preço do petróleo

  • PorReuters
  • 23/10/2008 16:26

Os ministros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) encontraram-se em Viena na quinta-feira, véspera de uma reunião emergencial do grupo na qual vão buscar deter a queda do preço do petróleo em meio à pior crise financeira global dos últimos anos.

De acordo com membros da Opep, a reunião de sexta deverá resultar em corte na produção para tentar evitar quedas mais fortes no preço da commodity.

O contrato referencial do petróleo nos EUA caiu mais de 50 por cento depois de atingir em julho o recorde de 147,27 dólares o barril. Na quinta-feira, a commodity era negociado por volta de 68 dólares o barril.

A forte queda levou a Organização dos Países Exportadores de Petróleo a antecipar para sexta-feira uma reunião de emergência originalmente marcada para 18 de novembro, e isso reavivou as lembranças do colapso de preço de 1998, quando o petróleo foi abaixo de 10 dólares.

Na chegada a Viena, o ministro venezuelano de Energia e Petróleo, Rafael Ramirez, afirmou que existe o risco de que o petróleo possa cair de novo para esse nível, e que a Opep precisa agir sem demora.

"Temos que lidar com a situação de uma maneira muito, muito responsável como Opep...assim podemos evitar um colapso do preço como em 1998", disse ele.

"Haverá um consenso para que haja uma ação muito, muito, muito rápida", disse ele sobre a reunião de sexta-feira, explicando que na sua opinião o grupo precisa definir um corte inicial de ao menos 1 milhão de barris por dia (bpd).

O ministro do Petróleo da Arábia Saudita, Ali al-Naimi, afirmou simplesmente que o preço do petróleo será determinado pelo mercado.

Único membro da Opep que está produzindo uma quantia significativamente maior do que seu objetivo oficial, a Arábia Saudita deve liderar qualquer redução na oferta.

No momento em que a desaceleração econômica vem prejudicando a demanda por petróleo e os estoques vêm aumentando, a maior parte dos ministros da Opep afirma que uma redução é essencial.

Mas eles divergem sobre a quantia de petróleo que deve ser cortada para limitar o excesso de oferta e proteger suas economias.

O presidente da Opep, o argelino Chakib Khelil, está entre os que disseram que pode ser preciso mais do que uma reunião para conseguir o equilíbrio correto entre oferta e demanda e entre necessidades de produtores e consumidores.

"A preocupação dos países produtores é de que, qualquer que seja a decisão tomada, que não tenha um impacto sobre o crescente tormento dos países consumidores", disse Khelil.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.