Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Dois projetos que têm chance de avançar no Paraná em 2016 são da área portuária. O arrendamento de seis terminais em Paranaguá – para movimentar grãos, fertilizantes, celulose e veículos – soma R$ 1 bilhão de aporte e está no segundo lote de leilões previstos para os portos públicos.

Capacidade

O investimento previsto em Antonina deve ampliar a capacidade para 850 mil toneladas por ano no terminal. A renovação do terminal de fertilizantes, em Paranaguá, eleva a movimentação para 660 mil toneladas por ano.

Parte do primeiro lote foi leiloado neste mês, com terminais no Porto de Santos. A outra metade, com cinco terminais no Norte do país, deve ser realizado em março. Depois disso, é a vez de Paranaguá. O porto paranaense deve ter ganhos de capacidade de movimentação que vão de 28% no caso dos terminais de grãos a 100% no caso de celulose.

O segundo projeto é a instalação do terminal de uso privado (TUP) da empresa norueguesa Subsea 7 na área da poligonal de Paranaguá. O projeto prevê o investimento de R$ 103 milhões na área para montagem e embarque exclusiva de dutos submarinos, usados na prospecção e exploração de petróleo e gás.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]