Detalhe da garrafa de whisky que foi vendida pelo equivalente a R$ 110 mil | Reprodução
Detalhe da garrafa de whisky que foi vendida pelo equivalente a R$ 110 mil| Foto: Reprodução

A partir de R$ 1 é possível entrar na internet em uma lan house. O G1 apurou que esse é o preço médio cobrado por hora em lan houses de favelas e bairros da periferia de três capitais: São Paulo, Rio e Recife. O preço médio por hora em grandes estabelecimentos situados nas regiões e bairros centrais da cidade de São Paulo é de R$ 5.

Além do preço, essas lan houses da periferia têm em comum a freqüência de jovens, que em sua maioria procuram o acesso ao MSN, ao Orkut e aos jogos on-line.

No Rio, a internet nas favelas furou as barreiras geográficas impostas pela guerra do tráfico. As salas de computadores estariam servindo para aproximar pessoas de favelas rivais. E a procura é tão grande que internautas disputam computadores até de madrugada.

Em São Paulo, a proliferação das salinhas de computador, com preços camaradas, em uma das maiores favelas da cidade faz a alegria da comunidade. O público mais aficionado é o adolescente, na faixa de 12 a 20 anos. Eles ficam, no mínimo, uma hora por dia conectados à internet, segundo funcionários de lan houses.

Na periferia do Recife, as lan houses já fazem parte da rotina da comunidade e ficam repletas de adolescentes. Os sites de relacionamento e os jogos de computador são os mais procurados por esses jovens.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]