A Petrobras informou nesta sexta-feira (17) ter criado uma comissão para investigar o incêndio na P-62, no campo de Roncador, na semana passada. De acordo com a estatal, a primeira reunião da comissão foi realizada no dia seguinte ao incidente. Em nota, a Petrobras negou que os programas de otimização de custos (Procop e Proef) tenham impactos negativos na segurança das operações, como alerta o Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF).

"O Procop é um programa de otimização de custos, que tem por objetivo aumentar a eficiência e a produtividade, sem comprometer a segurança operacional e a integridade das pessoas, dos equipamentos e do meio ambiente", diz a estatal, em nota.

A Petrobras explica que o incidente foi provocado durante o deslocamento da plataforma para o campo, quando ocorreu um incêndio de "pequenas proporções" em um gerador temporário a bordo. Segundo a companhia, a equipe de combate a incêndio atuou rapidamente para debelar o fogo e que os danos se limitaram a equipamentos.

A Comissão de Investigação do Acidente é formada pelo gerente da plataforma, três técnicos de segurança, dois representantes da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) eleitos, três representantes da CIPA não eleitos, um representante da Engenharia e dois representantes da empresa do consórcio construtor da plataforma.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]