Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Ana Elisa formou-se em Administração, possui pós-graduação em Marketing e conhecimentos técnicos em hotelaria. Fluente em inglês, comunica-se com categoria também em francês e espanhol. A habilidade com idiomas facilitou sua contratação por uma multinacional de entretenimento com sede nos EUA. Então, assim que concluiu o curso de graduação, Ana Elisa mudou-se para o exterior, a fim de aprimorar seus conhecimentos e valorizar seu currículo. A experiência no país estrangeiro durou 24 meses e foi bastante útil para o amadurecimento da jovem.

Com mais essa "bagagem" emocional, a moça retornou ao Brasil e foi à conquista de outra colocação. Conseguiu, sem muito esforço, uma vaga de assistente de Marketing em uma segunda multinacional. Sua permanência na organização, todavia, foi curta: apenas 12 meses. Seu desligamento veio com o fechamento de uma das plantas da fábrica e, por ser recém-contratada, não teve chances. Ela, então, dedicou-se a enviar currículos para todas as multinacionais com as quais gostaria detrabalhar. Esmerou-se em descrever suas qualificações e sua experiência profissional, que, embora não fosse muito longa, era sólida e de bastante responsabilidade.

Porém, após seis meses de contatos e envio de currículos, Ana Elisa não foi chamada por nenhuma das empresas. Estava desempregada, mesmo possuindo boa formação acadêmica e uma carreira diferenciada. Nem mesmo seus contatos pessoais lhe garantiram uma vaga de trabalho. Após as entrevistas, feitas ainda na primeira fase das seleções das quais participou, a jovem não conseguiu ser inserida no mercado. O retorno queobtinha era o de que o salário que queria era muito alto ou que sua experiência era muito superficial. Ou, ainda: que o mercado para profissionais de marketing estava sobrecarregado. No fundo, Ana Elisa sentia que eram desculpas. Com essa certeza, perdeu o sono por não saber o que fazer para recomeçar. Cogitou aceitar posições inferiores, como a de estagiária. Mas o salário, sempre baixo, seria insuficiente para garantir seu sustento. Pensou em mudar de área, mas não possuía experiência em outro setor. Pensou em voltar para os EUA, mas não tinha intenção de viver longe de sua pátria, de sua família e de seus amigos.

Foi aí que, em um ato de desespero, aceitou uma vaga de vendedora em uma loja de artigos esportivos. No início, sentia vergonha de ser vista por seus colegas. Afinal, o que diriam eles se a vissem em uma vaga de importância inferior a sua formação e cultura? Mas, embora insatisfeita com a função, acabou percebendo que tinha talento para vender. Sem muita dificuldade, chegou a ser premiada "melhor vendedora do mês" por três vezes consecutivas.

Ao final de um ano, veio a primeira promoção: a de gerente de setor. No ano seguinte, conquistou a vaga de gerente geral da loja. Aos poucos, foi percebendo que teria um futuro promissor na empresa e dedicou-se ainda mais ao aumento das vendas. Ao completar três anos de casa, o proprietário da loja procurou Ana Elisa e lhe ofereceu a Coordenação de Marketing.

***Por merecimento, a profissional conseguiu reverter sua situação e agarrou as rédeas de seu destino. Muitas vezes nos perguntamos por que certas coisas dão errado em nossa vida. Tentamos achar culpados para continuarmos vivendo. Porém, se olharmos para dentro de nós mesmos, encontraremos força suficiente para contornar qualquer situação, por mais negativa e difícil que pareça. O profissional precisa aprender a se reinventar a cada etapa, a se fortalecer a cada obstáculo e a se conhecer verdadeiramente. ***SAIBA MAIS...Sonhos possíveis A empresa farmacêutica Sanofi-Aventis desenvolve desde 1998 o programa Nossos Sonhos São Possíveis, que prevê a instalação de "brinquedotecas" hospitalares em instituições públicas ou que oferecem atendimento pelo SUS. O objetivo é propiciar um ambiente mais familiar às crianças e adolescentes hospitalizados, minimizando o medo e a angústia causados pela doença e contribuindo para disseminar o processo de humanização nos hospitais pediátricos. As brinquedotecas são instaladas na pediatria e equipadas com mesas "multiatividades", armários especiais, computadores, aparelhos de som, jogos, livros e vídeos. Além disso, o programa disponibiliza um carrinho que reproduz o visual das salas de recreação, com um módulo de teatro e uma caixa de música, com a função de levar brinquedos ou atividades escolares até crianças que não podem sair do leito. O Nossos Sonhos São Possíveis já atendeu mais de 40 mil crianças e jovens e conta com 12 brinquedotecas espalhadas em sete estados brasileiros.

Bernt Entschev é presidente do Grupo De Bernt. Empresário com mais de 36 anos de experiência junto a empresas nacionais e internacionais. Fundador e presidente do grupo De Bernt, formado pelas empresas: De Bernt Entschev Human Capital, AIMS International Management Search e RH Center Gestão de Pessoas. Foi presidente da Manasa, empresa paranaense do segmento madeireiro de capital aberto, no período de 1991 a 1992, e executivo da Souza Cruz, no período de 1974 a 1986

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]