Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE

Manufatura

Programa premia colaboradores que dão boas sugestões na Peróxidos do Brasil

Indústria ficou com o 31.º lugar entre as de porte médio no ranking das 50 Melhores Empresas para Trabalhar no Paraná em 2017, do Great Place to Work

  • Jéssica Maes Especial para a Gazeta do Povo
Trimestralmente, as ideias sugeridas pelos funcionários  e implementadas são premiadas com valores que vão de R$ 500 a R$ 14 mil . | Andre Frasson
Trimestralmente, as ideias sugeridas pelos funcionários e implementadas são premiadas com valores que vão de R$ 500 a R$ 14 mil . Andre Frasson
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Com um plano de investimentos bianual, a Peróxidos do Brasil não para de crescer e a planta de Curitiba já alcançou a capacidade de produção de mais de 180 mil toneladas de peróxido de hidrogênio ao ano. Mas não é só isso que a levou à 31.ª posição entre as médias no ranking das 50 Melhores Empresas para Trabalhar no Paraná em 2017: a verba destinada ao crescimento pessoal e profissional de seus colaboradores se reflete em engajamento e bem-estar.

Além de incentivar o diálogo entre os profissionais de diferentes níveis, o “Programa Peroxideia” incentiva o envolvimento dos colaboradores com a empresa enviando sugestões por meio de uma plataforma digital. Trimestralmente, as ideias implementadas são premiadas com valores que vão de R$ 500 a R$ 14 mil e, ao final do ano, o evento Peróxidos Valorização celebra os resultados dessas ações e reconhece os projetos destaques.

“Na edição 2017 do Valorização, realizada em outubro, foram inscritos 75 projetos, envolvendo 102 colaborados, ou seja, quase 60% dos profissionais da empresa. Estes números refletem o grau de engajamento e motivação que impulsionam o time da Peróxidos”, afirma o gerente de Recursos Humanos da companhia, Marco Antonio Silva.

Por se tratar de uma joint venture formada pela brasileira PQM e a belga Solvay, os profissionais têm a oportunidade de ampliar seu repertório técnico em outras empresas do grupo, dentro e fora do Brasil. Interessados podem fazer cursos de curta duração e até mesmo serem expatriados por dois anos para desenvolvimento de habilidades. A indústria disponibiliza, ainda, bolsas de estudo para ensino superior e idiomas, sessões de coaching e programa de mentoria.

o que você achou?

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE