i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Empreendedorismo

“Talentos verdes” em formação

Programa criado em Curitiba, em parceria com a ONU, busca formar jovens com capacidade para aplicar práticas sustentáveis nas empresas

  • PorBreno Baldrati
  • 14/09/2010 21:28
Renata e Lucas: os dois trabalham no programa Open Dojô, destinado a jovens com preocupações com o meio ambiente | Hedeson Alves/ Gazeta do Povo
Renata e Lucas: os dois trabalham no programa Open Dojô, destinado a jovens com preocupações com o meio ambiente| Foto: Hedeson Alves/ Gazeta do Povo

The Hub

Jovens querem trazer espaço colaborativo para Curitiba

Um grupo de jovens curitibanos iniciou um movimento para trazer um The Hub para a cidade. O Hub é um espaço de coworking (compartilhamento do local de trabalho), mas voltado para empreendedores ligados a práticas sustentáveis. "É uma espécie de incubadora de ideias", diz Renata Aquino, uma das líderes do movimento para trazer o espaço para a cidade. Hoje, o Hub está presente em mais de 20 cidades. No Brasil, por enquanto, só há um espaço, em São Paulo. "É um lugar que oferece espaços e serviços para que pessoas com ideias inovadoras possam acessar recursos, realizar conexões, produzir e compartilhar conhecimento", diz Renata.

A estilista Márcia Kohatsu, de 25 anos, fundadora da grife Bela Grafô, voltada para moda sustentável, é uma das apoiadoras do projeto. "Quando conheci o Hub São Paulo pensei: ‘é tudo que eu queria em Curitiba’. Se houvesse um espaço desses aqui, eu com certeza usaria. Hoje, o espaço para contato comercial é a minha casa mesmo", diz ela. Márcia é formada em musicoterapia, mas encontrou na moda uma oportunidade de mudar de área. "O fato de escolher trabalhar com material ecológico veio da ideia de que a gente tem que fazer a diferença. Percebi que todas as peças podem ser sustentáveis, desde a utilização da matéria-prima, como o algodão orgânico, até a tinta usada na estampa, à base de água, que é mais ecológica." As roupas da Bela Grafô podem ser encontradas em Curitiba na loja colaborativa Endossa, na Avenida Vicente Machado, 1047, no Batel.

O projeto do Hub Curitiba realiza hoje seu primeiro evento. Os apoiadores vão discutir a divulgação do projeto e devem estabelecer um plano para buscar investimentos. Interessados em participar da reunião devem enviar um e-mail para hub.curitiba@gmail.com. (BB)

De tão falada e alardeada, a sustentabilidade pode parecer apenas uma ferramenta de marketing de empresas em busca de uma boa imagem na praça. Ainda que isso possa ser verdade para algumas companhias, o amadurecimento da ideia de que é preciso se preocupar com o social e o meio ambiente começa a aparecer em forma de atitudes no dia a dia do mundo corporativo, inclusive no momento da contratação de jovens profissionais.

O presidente da Volvo Construction Equipments, braço da Volvo para equipamentos de construção, Yoshio Kawakami, cita um exemplo. No ano passado, um grupo de jovens da empresa teve a ideia de construir um estande totalmente sustentável para a M&T Expo, maior feira de equipamentos para construção da América Latina, realizada em São Paulo. "A iniciativa foi um sucesso", afirma. Os profissionais entraram em contato com uma empresa de certificação de selo verde e o estande seguiu todas as normas de construção sustentáveis. "Um jovem que traz esse tipo de ideia, com uma proposta que projeta o conceito e os valores da empresa, sem dúvida faz parte do grupo de talentos que a gente busca", diz Kawakami.

Capacitação

Pensando na preparação desses "talentos verdes", nasceu em Curitiba a OpenLab, uma ONG criada em cooperação com o Instituto das Nações Unidas para Trei­na­mento e Pesquisa (Unitar). Em fevereiro do próximo ano, a instituição lançará o programa Open Dojô, uma oportunidade para jovens que querem entrar no mercado de trabalho com maior conhecimento de práticas sustentáveis. "As competências a serem desenvolvidas acontecem na ação, com os jovens no centro do processo de pensar, perceber e agir, e não em sala de aula. É um jeito diferente de expandir o potencial criativo. Os jovens são instigados a propor soluções aplicáveis a desafios reais de inovação de organizações e sociedade", afirma Mariah Endo, diretora da OpenLab.

Além de certificado internacional pela Unitar, os jovens que participarem do curso também integrarão o primeiro Banco de Talentos Verdes do país, uma iniciativa da ONG junto a empresas no país.

A própria organização já conta com jovens preocupados com o meio ambiente. Renata Aquino, de 26 anos, e Lucas Ravedutti, de 20, foram contratados para coordenar o Open Dojô. Renata é formada em Psicologia e cursa pós-graduação em Estratégia e Sustentabilidade Empresarial no FAE Centro Univer­sitário. Ela começou a se interessar pelo tema há cerca de três anos, quando trabalhou em projetos de empreendedorismo social na Índia e na Indonésia, em intercâmbios da organização estudantil Aiesec. "Depois dessa experiência, fui procurar emprego na área de sustentabilidade e empreendedorismo. Quero ajudar as empresas a aplicar essas ideias a seus negócios", conta.

A OpenLab também fechou parcerias com universidades, como a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). "Nossos alunos estão cada vez mais atentos a essa necessidade de se pensar a sustentabilidade. A parceria busca fazer com que os estudantes reforcem essas competências e complementem a formação nessa área", explica Nicolau Afonso Barth, diretor de Relações Empresariais e Comunitárias da UTFPR - Campus Curitiba.

Para Kawakami, da Volvo, dependendo da empresa em que o jovem pretende trabalhar, a conscientização sobre o tema pode ser um fator importante para se conseguir um emprego. "Esse momento de transição entre a universidade e a realidade do mercado é o ideal para o entendimento da questão social e ambiental. Muitos dos jovens talentos em formação precisam de uma orientação mais clara nesse aspecto", afirma.

Para mais informações sobre o Open Dojô, basta acessar o site do programa.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.