i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Contas públicas

Pressionado, Garibaldi volta atrás sobre déficit na Previdência

Garibaldi Alves expôs de forma mais clara uma queda de braço histórica entre os ministérios da Fazenda e da Previdência em torno das projeções para o rombo das contas previdenciárias

  • PorAgência Estado
  • 17/03/2014 18:52

Depois de contestar a projeção de déficit de R$ 40,1 bilhões nas contas do INSS, segundo entrevista publicada nesta segunda-feira (17) pelo jornal Valor Econômico, o ministro da Previdência, Garibaldi Alves, voltou atrás e divulgou esta tarde nota dizendo ser possível que o déficit se mantenha no patamar, em termos nominais, "conforme prevê a área econômica do governo". Antes, ao jornal, o ministro havia dito que o valor, exposto no decreto de contingenciamento, não foi discutido com o Ministério da Previdência: "Não é nossa expectativa", declarou, prevendo valor cerca de R$ 10 bilhões superior, o que poderia comprometer a meta de superávit primário para este ano.

Garibaldi Alves expôs de forma mais clara uma queda de braço histórica entre os ministérios da Fazenda e da Previdência em torno das projeções para o rombo das contas previdenciárias. A previsão do ministro de um déficit próximo de R$ 50 bilhões causou mal-estar no Ministério da Fazenda, que cobrou explicações. Foi depois disso que o ministro da Previdência divulgou uma nota dando explicações para as suas previsões, mas recalibrando as expectativas. "O governo não tem mais como esconder o valor do déficit", comentou um experiente técnico do Ministério da Fazenda.

Os técnicos da Previdência vêm alertando o Ministério da Fazenda para o erro na projeções do déficit do INSS e também do valor do repasse do Tesouro Nacional pela compensação da desoneração da folha de pagamentos das empresas.

Na prática, o governo subestima o resultado das contas da previdência para diminuir o tamanho do corte necessário para o cumprimento da meta fiscal.

No ano passado, o governo usou até o final estimativas mais baixas do déficit para sustentar o discurso em torno de um superávit primário maior. Até o final de novembro, a previsão de déficit era de R$ 36,2 bilhões, que subiu depois R$ 41,2 bilhões na última reprogramação do Orçamento, divulgada quando faltava pouco mais para o final do ano. O resultado final foi um déficit de R$ 49,9 bilhões em 2013. Na proposta do Orçamento, a previsão de déficit era ainda menor, de apenas R$ 30 bilhões.

O tamanho desse "remanejamento" de projeções não é nada desprezível e é uma das fragilidades mais visíveis do corte de R$ 44 bilhões anunciado pelo governo no final de fevereiro. Se as previsões de gastos furarem e aumentarem, terão que ser efetivamente pagas, colocando em xeque o corte anunciado pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.