i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
investimentos

Previdência privada engatinha no Brasil

Apenas 4% das famílias têm um plano complementar, segundo estudo da Fenaprevi; Região Sul é líder em vendas

  • PorAgência Estado
  • 14/09/2010 21:12

São Paulo - A classe C já descobriu os planos de previdência privados, mas ainda de forma tímida. Pesquisa inédita da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (Fenaprevi) mostra que só 4% das famílias desse nível de renda possuem um produto de previdência complementar – mesmo porcentual da média nacional. Nas classes A e B, o porcentual sobe para 10%; na D e E, cai para 1%. Proporcio­nal­mente, a Região Sul é a líder em vendas.

"A penetração na classe C é pouca, perto do que é possível, mas já surpreende. O mercado tem muito potencial, considerando que a população está vivendo mais e a economia está crescendo", disse o diretor-presidente da Bradesco Vida e Previdência, Lúcio Flávio de Oliveira. Hoje, ele apresenta o estudo em evento da Fenaprevi. Para a entidade, há espaço para expandir a venda de planos tanto na alta renda quanto nas classes emergentes.

O estudo foi feito com 8,2 mil casas dos mais diferentes níveis de renda pela Kantar Worldpa­nel, empresa global de pesquisa de consumo em domicílios. Para entrar na classe C, a família tem de ter entre 4 e 10 salários mínimos. Além da presença dos produtos de previdência por renda, também foi feita uma análise por região do país. A região Sul é a que tem a maior presença de planos de previdência. Segundo dados da pesquisa, 8% dos lares da região contam com um plano de previdência complementar. Na avaliação de Oliveira, a razão vem do maior nível de renda da população da região e do grande número de descendentes de europeus, mais acostumados a planejar o futuro e a investir em previdência.

As projeções da Fenaprevi apontam que o mercado vai continuar em forte crescimento nos próximos anos, por conta justamente da classe C. O segmento ultrapassou em julho a marca de R$ 201 bilhões em reservas. A projeção é que chegue a R$ 800 bilhões em 10 anos. Além de a população estar vivendo mais, o próprio crescimento econômico incentiva a venda desses planos, avalia Oliveira. "A pessoa passa a se preocupar mais com o futuro", afirma.

O estudo da Fenaprevi avaliou também a presença de seguros de vida nas famílias brasileiras. O produto está presente em 18% dos lares da classe A e B. Na classe C, o porcentual cai para 6%; na D e E, para 2%. Na avaliação de Oliveira, a maior presença do seguro de vida quando comparado a um plano de previdência nas famílias se deve, em muitos casos, ao fato de empresas oferecerem essa apólice no pacote de benefícios a seus funcionários, como pede a legislação.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.