i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
IBGE

Produção industrial cai mais que esperado em setembro

  • PorO Globo Online
  • 07/11/2006 10:57

A produção industrial brasileira caiu 1,4% em setembro ante agosto, após dois meses consecutivos de crescimento, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira.

Na comparação com setembro do ano passado, a atividade das indústrias no país avançou 1,3%. De janeiro a setembro, a atividade industrial no país acumula avanço de 2,7%. Nos últimos 12 meses, o avanço acumulado foi de 2,3%.

A queda de setembro foi bem maior do que a estimada por analistas consultados pela Reuters, que esperavam uma retração de 0,54%.

"A redução de 1,4% de agosto para setembro fez o nível de produção industrial retornar ao patamar de junho'', afirmou o IBGE em comunicado.

Para Silvio Sales, coordenador de Indústria do IBGE, a principal pressão da queda em setembro veio da greve nas montadoras durante o mês de agosto. O setor tem representatividade entre 5% e 7% no índice e está ligada a diversos segmentos como siderúrgicas e autopeças.

- Além da greve, há um conjunto de fatores como a perda de ritmo das exportações e a chegada de importados na área de eletroeletrônicos (linha marrom) devido a desvalorização cambial. A linha de bens duráveis nos últimos três anos já acumula alta de 44%. Então, em algum momento, espera-se ritmo menor de crescimento - explica Sales.

Na análise trimestral, há um quadro claro de estabilidade da produção. Para Sales, a indústria vinha com crescimento suave até julho. No período, destaca, a boa notícia é a manutenção do acréscimo da produção de máquinas e equipamentos (bens de capital).

- A indústria está num sobe e desce. O movimento na produção de bens de capital, acima da média, indica que o investimento vai continuar crescendo.

Por outro lado, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) informou na segunda-feira que as vendas reais da indústria avançaram 1,9% no terceiro trimestre do ano.

Das 23 atividades pesquisadas pelo IBGE, 12 recuaram. Entre as indústrias que reduziram a produção, o movimento mais forte foi registrado no setor automotivo, com queda de 9,3%.

As contribuições positivas vieram de material eletrônico e equipamentos de comunicações, com alta de 10,8%. Na comparação com agosto, 12 das 23 atividades pesquisadas tiveram queda em setembro.

Leia também:

No Paraná, vendas têm queda de 6,8%

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.