i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Mineração

Receita cairá US$ 600 milhões por mês com corte da produção, diz Vale

  • PorAgência Estado
  • 08/12/2008 16:54

Os cortes de produção já anunciados pela Vale nas unidades de pelotas e minério de ferro vão reduzir a receita da companhia brasileira em quase US$ 600 milhões por mês. O cálculo é do analista Rodrigo Ferraz, da Brascan Corretora. Até o momento, lembra ele, a Vale já paralisou atividades em quatro pelotizadoras, que juntas representam 65% de sua capacidade produtiva no segmento. Com esses ajustes, o faturamento tende a encolher mensalmente US$ 383 milhões. Já a diminuição em 30 milhões de toneladas na produção de minério de ferro vai custar ao caixa da companhia cerca de US$ 200 milhões por mês.

Segundo Ferraz, somente daqui a cinco meses todas pelotizadoras da Vale devem ter voltado a operar. Mas, destaca, em um ritmo bem mais fraco. O analista ressalta que a pelota é um produto mais caro e que tem como objetivo principal acelerar a produtividade do alto-forno. Como a demanda caiu drasticamente e as siderúrgicas estão também cortando produção, a demanda por pelotas despencou.

Para Ferraz, os ajustes feitos até o momento na capacidade produtiva da Vale não têm como objetivo impedir uma queda nos preços em 2009. Em sua avaliação, os cortes são apenas reflexos da rápida mudança no cenário internacional, que vinha operando extremamente aquecido. No início do ano, as mineradoras conseguiram reajustar seus preços entre 65% e 100%.

Já o analista Pedro Galdi, da SwL Corretora, observa que a definição dos preços para 2009 vai refletir o nível dos estoques mundiais. Hoje, os principais mercados consumidores, entre eles, a China, estão operando com estoques muito elevados. "A demanda está literalmente paralisada. A Vale cortou produção porque não tem mais como acumular estoques", diz.

Galdi acredita que os ajustes já anunciados pela a companhia brasileira e outras mineradoras estrangeiras vão ajudar a equilibrar o mercado no médio prazo. "Quanto mais rápido se consumir os estoques, mais rápido a situação caminha para o equilíbrio", afirmou.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.