i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Ascensão social

Renda da classe média sobe 50%

Entre 2001 e 2011, rendimento per capita das famílias passou de R$ 382 ao mês para R$ 576, aponta estudo do governo

  • PorDas agências
  • 05/08/2013 21:18
Na média de todas as classes, a renda da família brasileira cresceu 33% em uma década, avanço que impulsionou o consumo | Brunno Covello/ Gazeta do Povo
Na média de todas as classes, a renda da família brasileira cresceu 33% em uma década, avanço que impulsionou o consumo| Foto: Brunno Covello/ Gazeta do Povo

A renda per capita da classe média cresceu 50% entre 2001 e 2011, passando de R$ 382 ao mês para R$ 576, de acordo com o quarto caderno "Vozes da Classe Média", divulgado ontem pela Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República. Para o governo, a família de classe média é aquela com renda per capita (renda total dividida pelo número de pesoas) entre R$ 291 e R$ 1.019 ao mês.

Ao mesmo tempo em que o rendimento da classe média cresceu, segundo o subsecretário de Ações Estratégicas da SAE, Ricardo Paes de Barros, a renda per capita de todas as classes sociais cresceu 33% no período, ao sair de R$ 591 para R$ 783. "Hoje, a classe média tem 47 milhões de trabalhadores, dos quais 54% são assalariados no setor privado. O futuro da classe média depende muito do emprego assalariado no setor privado", apontou.

Na média anual, a evolução porcentual da renda per capita foi de 2,9% para o total das famílias e de 4,2% para a classe média de 2001 a 2011.

Mercado de trabalho

O relatório aponta que o aumento da renda per capita se deve em parte às novas oportunidades de trabalho e também à "crescente generosidade das transferências públicas", além da melhoria na capacitação e mudanças na qualidade dos postos de trabalho.

De acordo com o estudo, o número de vagas de trabalho cresceu 20% no período com ampliação de 16 milhões de postos, passando de 76 milhões em 2001 para 92 milhões em 2011, o que consequentemente levou a uma queda na taxa de desemprego. Como a população em idade ativa também aumentou em velocidade semelhante à de ofertas de emprego, em 19%, a taxa de ocupação ficou estável em 60%.

A maioria das novas oportunidades no mercado de trabalho foi para assalariados, tanto em empresas públicas quanto no setor privado. Neste último, o número de assalariados aumentou 38%. Paralelamente, houve uma melhoria das condições de contratação com a expansão do emprego formal. Dos 16 milhões de empregos abertos na década analisada, 13 milhões foram com carteira assinada. A quantidade dos assalariados sem carteira diminuiu em quase um milhão.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.