i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Comércio

Semana do Brasil: como o varejo vê a “Black Friday” tupiniquim lançada pelo governo federal

  • PorSharon Abdalla, com Agência Estado
  • 03/09/2019 17:17
Foto: Ivonaldo Alexandre/Arquivo/Gazeta do Povo
Foto: Ivonaldo Alexandre/Arquivo/Gazeta do Povo| Foto: GAZETA

O governo federal lançou oficialmente nesta terça-feira (3) a Semana do Brasil, em cerimônia realizada no Palácio do Planalto com a presença do presidente Jair Bolsonaro. A ação, que tem por objetivo estimular o comércio e, consequentemente, a economia brasileira, será realizada entre os próximos dias 6 e 15 de setembro. Neste período, estabelecimentos de diferentes segmentos irão ofertar produtos e serviços com preços e condições especiais de negociação, no que tem tudo para ser a nova "Black Friday" brasileira.

Criada pela Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom), a Semana do Brasil nasce com a pretensão de se firmar como uma data comercial no calendário nacional, no mês em que se comemora a Independência do país. Ou seja, "incentivar o sentimento de patriotismo da população e criar um momento especial para os consumidores", como destaca o governo federal.

"Historicamente, o mês de setembro é um dos que registra menor movimento de venda e faturamento no varejo. Essa iniciativa, aproveitando as celebrações do Sete de Setembro, cria um marco muito favorável e positivo para o setor", completa Fabíola Paes, especialista em varejo e docente da ESPM, da USP/Esalq e da Ibmec.

Opinião semelhante tem o conselheiro do Instituto do Desenvolvimento do Varejo (IDV), Marcos Gouvêa de Souza. Além de estimular as vendas, tradicionalmente fracas quando comparadas a de outros períodos do ano, ele acredita que o período de promoções também deverá contribuir para a retomada da confiança do consumidor.

Imagem: reprodução
Imagem: reprodução

"O Brasil está precisando de um estímulo. Estamos em uma situação na qual a massa salarial cresceu, as taxas de juros baixaram, a oferta de crédito aumentou, o desemprego está caindo (mesmo que devagar), o comprometimento de renda [das famílias] é menor e, mesmo assim, o consumo não reage, as vendas no varejo não crescem. E isso gera uma reação em toda a cadeia produtiva", lembra o conselheiro do instituto, uma das entidades apoiadoras da campanha.

Engajamento dos lojistas aponta para sucesso da ação

Uma nova oportunidade de vendas em um cenário de resultados pouco expressivos era uma oportunidade aguardada pelo setor. Pelo menos este é um entendimento possível a partir do engajamento das grandes e pequenas marcas à Semana do Brasil. Dados do governo federal apontam que 4.680 empresas e entidades irão participar ativamente da campana.

Entre elas estão a Via Varejo, das marcas Pontofrio e Casas Bahia, que anunciaram descontos de até 80%; a Fast Shop, na qual a redução sobre os preços chega a 45%; e a Camicado, do grupo Renner, que oferta produtos por até metade do preço de tabela. Vale lembrar que o cadastro para que as empresas participem da campanha não é obrigatório e que não há prazo para que ele seja realizado.

"A recomendação é a de que as empresas o realizem e usem a marca da campanha para potencializar o efeito das vendas, mas seguramente muitas redes que não se cadastraram também irão participar dela [com ações promocionais]", reforça o conselheiro do IDV. Souza lembra que as empresas não receberão nenhuma espécie de incentivo ou benefício por parte do governo, como a redução ou o parcelamento de impostos, para participar da campanha e que, ao contrário disso, estão sacrificando sua rentabilidade para viabilizá-la.

"A campanha se espalhou pelo Brasil e abriu caminho para que se torne uma nova data promocional no calendário do comércio do país. Neste primeiro ano, provavelmente não teremos seu efeito máximo. Nos próximos, a resposta vai crescer em intensidade, até pelo fato de os lojistas poderem se planejar e organizar com mais antecedência", reforça o conselheiro. Ele especula, inclusive, que em dois anos a Semana do Brasil pode vir a representar o quinto melhor período de vendas promocionais do ano, perdendo apenas para o Natal, Dia das Mães, Dia dos Namorados e a Black Friday, não necessariamente nesta ordem.

A especialista em varejo Fabíola Paes, por sua vez, pensa que ainda é cedo para ter na campanha uma nova Black Friday, mas reconhece que existe este desejo por parte do governo e do empresariado e potencial para que ela atinja tal magnitude.

"Quem vai validar tudo isso será o feed back dos consumidores no pós Semana do Brasil. Dando certo, ela tem potencial, inclusive, para ir além da Black Friday, pois é mais focada na venda física, que é onde ocorrem 98% das vendas do varejo. Os outros 2% estão no mundo online, que é o principal foco da Black Friday, e movimenta cerca de R$ 60 bilhões por ano", projeta.

6 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 6 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • W

    Waldemiro

    ± 0 minutos

    Fuja que eh cilada bino

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • H

      Helio

      ± 15 horas

      Black fraude agora "institucionalizada".

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • S

        STF

        ± 15 horas

        Vão baixar os impostos ?

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • F

          Francisco Krupa

          ± 16 horas

          Querem estimular o comércio então baixem os impostos.

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • M

            MGarcia

            ± 17 horas

            O que precisa ser estimulado é o respeito pelo consumidor e o comportamento ético dos lojistas. Se for mais uma promoção "tudo pela metade do dobro" não vai se sustentar. Em tempos bicudos temos de pesquisar preços, avaliar produtos, etc. Como pesquisar e avaliar se na loja física vai ter aquele mundão de gente fazendo fila desde as 4 da manhã? O povo entra como manada desembestada e se engalfinha para levar até uma torradeira chinesa por R$99,99 em 12 x R$9,99.

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            • C

              Carlana Roberta Silva dos Santos

              ± 23 horas

              Venham!! Aproveitem!!!! Tudo pela metade do dobro!!! Ainda pode parcelar em 10 vezes com juros !!! Mas dizemos que é sem juros para você acreditar!!! Kkk

              Denunciar abuso

              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

              Qual é o problema nesse comentário?

              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

              Confira os Termos de Uso

              Fim dos comentários.